Featured Slider

[Resenha] Nada a perder, Jeff Lemire

Título: Nada a perder
Autor: Jeff Lemire
Editora: Autêntica | Selo: Nemo (cortesia)
Páginas: 372
Onde comprar: Amazon

Essa foi uma oportunidade brilhante para ler uma HQ em que os traços das ilustrações, dizem muito sobre a personalidade do nosso protagonista.

Eu busco sempre estudar sobre as histórias em quadrinhos e os traços dos desenhos, mesmo que não tenha talento nenhum eu amo admirar as produções artísticas dos autores, e não foi diferente com o Jeff Lemire. Vi várias pessoas falando bem da obra Nada a perder, lançado pela selo Nemo da Autêntica, e fiquei conectada do começo ao fim com essa narrativa verbo-visual.

[Resenha] Sombra, Suzy Lee

Titulo: Sombra
Autor: Suzy Lee
Editora: Cia das Letras | Selo: Companhia das Letrinhas (cortesia)
Páginas: 48
Onde comprar: Amazon

"Sombra é um elogio à potência do discurso e do silêncio das imagens. Poesia em luz e sombra"
- Renato Moriconi

A sombra é um livro muito engraçado pois não tem palavras. Temos que usar a imaginação para poder criar uma história. É bem legal pois as imagens contam muito do que aconteceu. 
  
Mostra a história de uma menininha que brinca com as sombras. Ela usava vários objetos para fazer suas aventuras. A bicicleta virava um monstro, e suas mãos uma linda pombinha. Seu reflexo parecia que tinha asas de anjos.

[Resenha] Gritos no Silêncio, Angela Marsons


Título: Gritos no Silêncio
Autora: Angela Marsons
Editora: Autêntica | Selo: Gutenberg (cortesia)
Páginas: 320
Onde comprar: Amazon

“Esse era o problema das viagens ao passado. Todas as memórias felizes levavam à tragédia e à perda. Razão pela qual não as visitava com tanta frequência.”

Gritos no Silêncio inicia com um prólogo de cair o queixo, apresentando cinco personagens selando um pacto, no qual confirmam que não irão contar nada do que está acontecendo aquela noite, que aquele segredo será ocultado naquela cova que estão fechando. Passam-se 10 anos, a história começa e é aqui que tudo acontece.

[Resenha] Uma coisa absolutamente fantástica, Hank Green


Título: Uma coisa absolutamente fantástica
Autor: Hank Green
Editora: Companhia das Letras | Selo: Seguinte (cortesia)
Páginas: 384
Onde comprar: Amazon

"(...) Foram algumas poucas pessoas que fizeram isso. Entre oito milhões. Estou me esforçando muito para lembrar quão poucos são verdadeiramente maus."

Um dos livros mais hypados do momento, escrito por Hank Green, irmão do talentoso e famoso John Green, Uma coisa absolutamente fantástica nos apresenta à história de April May, uma jovem designer que trabalha em uma start-up, que paga apenas o suficiente para ela bancar um apartamento com Maya, com quem mantém um relacionamento sem querer assumir oficialmente nada.

A vida de April muda completamente quando na volta para casa durante a madrugada, se depara com uma escultura gigante e imponente. Impressionada com aquilo e sem fazer ideia de como foi parar ali, April liga para seu amigo Andy e sugere que gravem um vídeo, no qual ela apresenta o robô como Carl e fala um pouco sobre como é tocá-lo.

[Resenha] A cidade de bronze, S.A. Chakraborty


Título: A cidade de bronze
Autora: S.A. Chakraborty
Editora: Morro Branco (cortesia)
Páginas: 608
Onde comprar: Amazon

“– Achei que honestidade fosse uma virtude.
– Nem sempre.”

Quando fui à Bienal de São Paulo, encontrei as meninas que trabalham na Morro Branco e elas haviam me contado sobre esse lançamento dizendo que o livro era ideal para fãs de A rebelde do deserto e repleto de aventuras. Confesso que, apesar de ter achado a proposta do livro interessante, tinha ficado com medo de não gostar da leitura, já que A rebelde do deserto não tinha me agradado. Doce ilusão...

Nahri é uma jovem golpista que nunca acreditou em magia, mesmo tendo um dom bastante inigualável no que diz respeito a descobrir a doença das pessoas e curá-las. Mas, ela segue sua vida aplicando golpe nas mais varias pessoas e tentando sobreviver nas ruas do Cairo.

[Resenha] Deveria ser eu e você, Paula Ottoni


Título: Deveria ser eu e você
Autora: Paula Ottoni (cortesia)
Editora: Amazon
Páginas: 290
Onde comprar: Amazon

“— Sim... as pessoas geralmente estão muito preocupadas em mostrar sua felicidade, seu status... e não anulo essa ideia. Deve realmente ser legal ter dinheiro para fazer uma festa bonita como a da sua irmã, e ter família e amigos por perto em um dia que vai sempre ser lembrado. Mas acho que existem momentos mais sinceros e românticos de um casal que as outras pessoas nunca irão ver... e tem algo especial nisso também, em ser algo só dos dois.
— É como essa coisa de postar tudo nas redes sociais. – Luca põe as mãos entrelaçadas embaixo da cabeça. – É como se ser feliz não bastasse. Você precisa gritar para o mundo e fazer inveja nos outros.”

Quando a Paula me contatou informando que havia escrito um novo livro e perguntando se eu tinha interesse em ler, não pensei duas vezes antes de mergulhar nas páginas de Deveria ser eu e você, eis que essa história tocou meu coração tão profundamente e de uma forma tão singela que é até difícil colocar em palavras.

Laura Cavalcante tem 21 anos e estuda Arquitetura em uma universidade em Curitiba, onde divide o apartamento com sua amiga Juliana. Do seu grupo de amigos, ela é a única solteira, mas tudo bem, ela já se acostumou a ficar em casa pintando quadros, lendo livros e assistindo filmes, mas tudo muda quando ela, Juliana, Bruno, namorado de Juliana, e Luca, irmão mais novo de Bruno, encontram uma cartomante na rua que faz duas previsões: a primeira que Bruno vai encontrar um emprego, e a segunda que Luca vai perder a vida na tentativa de salvar seu amor.

[Leituras do mês] Outubro/2018


Olá pessoal, tudo bem com vocês?

Infelizmente, meu tempo anda muito corrido e tenho sentido muita falta de conversar com vocês sobre livros, apesar de estar um pouco mais presente no Instagram (@umoceanodehistorias), sinto que não estou me dedicando o suficiente, mas estou tentando, eu juro. Enfim, hoje decidi conversar com vocês sobre as minhas NOVE leituras do mês de outubro, vamos lá?

O que dizem seus olhos, Florencia Bonelli (Resenha)

Comecei a ler esse livro com muitas expectativas e curiosíssima para saber o que ele apresentaria, mas me decepcionei com a desconstrução da protagonista. Mesmo assim, o livro conta com um teor cultural maravilhoso e é uma leitura que vale à pena fazer. 3/5