terça-feira, 14 de novembro de 2017

Tartarugas até lá embaixo, John Green

Oioi pessoal, como vocês estão?

Vamos conversar um pouco sobre Tartarugas até lá embaixo, do John Green?


Há seis anos John Green não nos presenteava com nenhuma história nova. Ele fez muito sucesso com vários livros e adaptações, um troféu sucesso para A Culpa é das Estrelas. Cheguei a pensar que ele não escreveria mais, que tinha se aposentado, sei lá, mas aí veio a surpresa: seria lançado Tartarugas até lá embaixo. Um livro de cunho extremamente pessoal que traz a história de Ava Holmes, uma jovem adolescente que lida com o temido Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC). Aza sai com sua amiga, Daisy, em busca de pistas para desvendar o misterioso desaparecimento de um bilionário da região onde moram.

Ainda não li o livro, apesar de tê-lo em casa, mas estou louca para ler, pois todos que leram, dizem que é o melhor livro do autor.

Bem, mas o post não é sobre isso, mas sobre um vídeo curto do John que vi, que fala sobre seu novo livro e sobre seus transtornos psicológicos. Ele diz que “Não dá para ver ou ouvir as dores da mente, e é difícil explicar se não for por analogias ou metáforas.” Comecei a pensar muito nisso. Sobre como não é fácil explicarmos o que se passa em nossa mente. Sobre como, infelizmente, as pessoas não entendem. Sobre ouvir “Depressão? Doença de rico e desocupado”. Estamos longe de entendermos as pessoas e sofrimentos de verdade e tentar ajuda-las.

Nesse vídeo, John diz que sofre de TOC. Ele fala sobre pensamentos intrusivos. Sobre sua obsessão por esses pensamentos. Sobre a sensação de ter pensamentos sequestrados. Quando vi isso no vídeo do autor, fiquei embasbacada porque pouco sabia sobre o TOC que era, para mim, até então, um transtorno que fazia as pessoas sentirem um desejo incontrolável de organização. Eu nunca tinha imaginado e, por consequência, compreendido o que passava na mente de uma pessoa com esse transtorno. Nunca tinha sentido empatia por eles até agora.

Então, mesmo sem ter lido Tartarugas até lá embaixo, ouso dizer que este livro é essencial. Foi escrito por uma pessoa que sobre esse transtorno mostrando como uma pessoa se sente com ele.

Não vejo a hora de conhecer a história de Ava. E, você, ficou interessado? Sabia que John Green sofria com esse transtorno ou o conhecia?


Beijos,

13 comentários:

  1. Olá Bruna!
    Estou ouvindo só coisas boas sobre esse livro também.
    Não sabia sobre o TOC do John Green! E concordo com você, nunca tinha imaginado ou pensado muito sobre o assunto. Com certeza lerei :)
    Beijos!

    Books & Impressions

    ResponderExcluir
  2. Oi, Bru. Eu nunca gostei muito do John Green, mas, perante essa temática que está dando o que falar, tenho sentido uma certa vontade de conhecer esse livro. É bem interessante quando a pessoa consegue transmitir sua própria experiência, e intteressante que ele voltou ao mundo literário com um tema tão importante para ele e com certeza para o resto do mundo também.

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito da ideia do post e preciso muito ler o livro. Já tive alguns problemas com transtornos psicológicos e o meu amago entende o que o tio verde quis expressar quando ele fala sobre as dores da mente.
    Espero em breve poder fazer a leitura deste livro e que ele me conquiste como A Culpa é das Estrelas me conquistou.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Ola, esse livro eu não li mais acho que todos deveriam ler. O toc é uma doenca pisicologica assim como as outras mais como voce mesma disse voce achou que a pessoa sentisse um desejo incontrolavel por arrumação mais é mais do que isso e que bom que voce sabe que não.

    ResponderExcluir
  5. Bru por incrivel que pareça é algo realmente muito importante a ser conversado, porque eu tenho TOC. Eu faço tratamento com terapeura, porque eu já cai numa deprê após o termino do meu namoro e depois comecei a ter pensamentos ruins que eu não gostaria de ter e agradeço a Deus por ter meus pais comigo para me ajudar e me dar auxilio, porque eu não sei o que poderia ter acontecido. Sinceramente é algo muito ruim. As pessoas não imaginam o que a gente passa. Realmente as pessoas tem de ter mais atenção com isso e buscar procurar AJUDA, porque sozinho isso não se cura. Graças a Deus e com fé eu estou bem, medicada na medida do possivel e tendo sempre acompanhamento. E isso pra mim já é ótimo, porque eu tenho meus medos as vezes. Do nada. As vezes de sair de casa, ou de fazer alguma coisa errada e grave sabe? eh uma sensação que eu nunca tinha sentido antes, mas que hoje eu não tenho sentido mais e nem quero. Espero continuar bem e ACONSELHO AS PESSOAS que sofrem de TOC, procurar terapeuta e psicologos para conversar, porque não se JULGUE porque você é LOUCO, porque eles não tratam pessoas apenas que tem deficiencia mental, mas pessoas que precisam de ajuda para VIDA...PARA SI MESMO...PARA O SEU BEM ESTAR.... PSICOLOGO OU PSIQUIATRA RESUMINDO não é APENAS PARA LOUCOS NÃO! Eu sou PROVA DISSO, porque meus médicos, já não são mais, SÃO MEUS AMIGOS e agradeço a Deus por ter colocado esses dois anjos da guarda na minha vida.
    =]

    Um desabafo nessa sua postagem incrivel
    parabens Bru

    Sil - I LOVE MY BOOKS

    ResponderExcluir
  6. Li outras resenhas que diziam que ele demorou pra escrever porque entrou em depressão novamente, por conta do receio de escrever outro livro que não fosse tão sucesso quanto A culpa é das estrelas, a fama faz coisas horríveis com a nossa cabeça, é uma pressão sem igual. Eu quero muito ler porque tenho TOC e acho que finalmente alguém conseguiu escrever como é a cabeça de alguem com esses transtornos, espero poder conferir suas impressões em breve também!

    ResponderExcluir
  7. Oi Bruna, corri pra ler sua opinião sobre o livro e pahhhhhhhhhhhhh, era outra coisa. Mas como você é maravilhosa, o post conseguiu me emocionar muito quanto a essa declaração do Green em falar que as dores da ente não se veem. Estou muito curiosa com o livor porque eu amo o John Green e tenho certeza que será uma leitura incrivel.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Já sabia que o autor tinha esse transtorno e ao saber que ele retratou isso na personagem do novo livo fiquei muito curiosa com a história. Na época o BOOM John Green de anos atrás li A Culpa é das Estrelas e não gostei, O Teorema Katherine nem consegui terminar mas gostei muito de Quem é você, Alasca? E visto tantos elogios para este novo livro quero muito lê-lo e espero poder fazer em breve.

    http://anneandcia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. "Oioi pessoal, como vocês estão?

    Vamos conversar um pouco sobre Tartarugas até lá embaixo, do John Green?"

    VAAAMOOOSS!! hahaha
    Eu terminei o livro semana passada e ele me destruiu.
    Antes de eu falar mais, queria dizer que nunca gostei do John Green. Li tudo o que ele publicou e não tinha realmente gostado de nenhum, mas esse livro novo é uma obra prima, eu prometo!
    Acho que ele realmente conseguiu passar o que é o TOC e transtornos de ansiedade de uma forma tão crua que faz com que as pessoas que sentem o mesmo se identifiquem em um nível não visto antes e que, se você não sente isso, consegue entender e empatizar com quem sofra disso.
    Recomendo bastante a leitura :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Eu também estou doida para ler esse livro porque todos estão dizendo ser o melhor do autor.
    Sobre o que você disse sobre os transtornos concordo muito com você, e acredito que esse julgamento das pessoas acaba agravando muito mais os transtornos e fazendo com que as pessoas não queiram falar sobre quando acham que estão doentes.
    Boa leitura

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bom?

    Eu só fiquei sabendo que o John Green sofria com esse transtorno na divulgação desse livro. Era uma coisa que eu não imaginava e esse livro também me deu uma nova perspectiva sobre o assunto. Assim como você, para mim, o TOC era um transtorno que fazia as pessoas sentirem um desejo incontrolável de organização, só isso. Mas como ele diz no vídeo, é isso que podemos ver, mas não podemos saber o que se passa na mente dessas pessoas.
    Acredito que isso deva ser o mais interessante nesse livro, que eu ainda não tive a oportunidade de ler: entrar na cabeça da Ava e entender um pouco mais sobre o assunto. Assim como você colocou, as pessoas, infelizmente, não entendem transtornos psicológicos e essa obra dele, que tem tudo para ser a melhor de sua carreira, pode nos mostrar uma nova visão disso.

    Enfim, adorei a postagem e agradeço a indicação :)
    Abraços.

    ResponderExcluir
  12. Oi, Bruna! Tudo bem?
    Eu vi esse vídeo após ter lido o livro e que vontade que eu senti de dar um abraço no John Green. Eu não tinha ideia de como era o TOC e que poderia ser algo tão sofrido assim, mas no livro ele consegue realmente inserir o leitor na mente de uma pessoa que tem TOC e ter uma noção de como é conviver com esse distúrbio.
    Adorei o post e acho que você tem toda razão em dizer que é um livro essencial. Espero que essa leitura seja tão emocionante para você como foi para mim.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Oi, Bru

    Realmente o TOC não é uma doença tão banal como muitas pessoas pensam, há muitos níveis e, de acordo com cada um deles, muitas limitações.
    Eu não sabia da existência desse vídeo, vou dar uma olhada depois, mas não pretendo ler o livro pois não o considero um bom autor. Os textos dele e eu não nos batemos.

    Beijocas
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir