sexta-feira, 18 de agosto de 2017

[Resenha] O Amante Japonês, Isabel Allende

Título: O Amante Japonês
Autora: Isabel Allende
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 294
Onde comprar: Amazon 
"Há paixões que são incêndios até que o destino, de súbito, as afogue, e mesmo assim restam brasas quentes, prontas para arder assim que lhes der oxigênio."

Irina Bazili é uma jovem imigrante da Moldávia cheia de segredos. Seu passado é um mistério para todos que a cercam e seu comportamento reservado e discreto, quase que assustado, não permite que as pessoas se aproximem dela tão facilmente. É, então, através do trabalho que conseguiu na casa de repouso Lark House, que Irina vai conhecer uma senhora forte e tão misteriosa quanto ela. Alma Belasco foi uma mulher de poucos amores. Amou apenas duas pessoas durante toda sua vida: Nathaniel Belasco, o primo, irmão, melhor amigo e marido; e Ichimei Fukuda, o eterno amante japonês, o único verdadeiro amor.

Isabel Allende teceu esse romance com maestria, transitando entre o presente e o passado. A história é atirada para o leitor de pequenas em pequenas porções, dando tempo suficiente para que os fatos possam ser digeridos. Sendo assim, o romance deste livro não tem nada de explosivo. Não espere encontrar uma grande paixão, um sofrimento pulsante. O que se tem aqui é um amor sólido, sentido intensamente apenas entre os personagens - esse arrebatamento não chega para o leitor como uma explosão, mas como o confortável calor da chama de uma vela. 
"A felicidade não é exuberante nem ruidosa, como o prazer ou a alegria. É silenciosa, tranquila, suave, é um estado interno de satisfação que começa quando a pessoa se permite amar a si mesma."

No início foi bem difícil eu me adaptar a essa escrita narrativa e distante. Esperava o tempo todo por um ápice que nunca chegava. No entanto, já quase na metade dessa história linda e envolvente, eu me adaptei e passei a apreciar plenamente esse estilo sutil e tocante. Depois disso, seria inconcebível a ideia de que esse romance merecesse menos que a nota máxima.

Também não posso deixar de mencionar o desfecho de arrepiar, que trouxe um mix de sentimentos como tristeza e felicidade, agonia e alívio, agitação e paz. Um desfecho que coloca para fora todo o ar aprisionado no pulmão por muito, muito tempo. 
"Muitas vezes dissemos que nos amar é nosso destino, que nos amamos em vidas anteriores e continuaremos nos encontrando em vidas futuras. Ou talvez não haja passado nem futuro, e tudo aconteça simultaneamente nas infinitas dimensões do universo. Neste caso, estamos juntos, constantemente, para sempre."



Classificação:

11 comentários:

  1. Oi, Gabrielle! Nossa, já faz um tempinho que eu estou querendo ler esse livro. Sua resenha aumentou minha vontade em lê-lo, terei de adiar outras leituras e ler esse. Parabéns pela resenha, a mesma ficou maravilhosa, fico a imaginar o quão a leitura deva ser prazerosa. Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Oi Gabrielle! Eu li esse livro e amei de paixão. Foi uma leitura inspiradora.
    Parabéns pela resenha!
    bjs

    Amor por Livros

    ResponderExcluir
  3. Oi tudo bem?
    Não conhecia o livro mas gostei bastante da premissa achei bem diferente, gosto de livros que trazem uma mistura de emoções e que vão nos conquistando aos poucos, fiquei bem curiosa quanto a leitura.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi Gabrielle, sempre leio elogios para com os livros da autora, mas ainda não tive oportunidade de conhecer a sua escrita. Talvez eu estranhe um pouco como você bem pontuou na resenha, sobre ser um pouco diferenciado, mas quero ter essa experiência também.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oiiii tudo bem??

    Não conhecia o titulo, e fiquei impressionada com essa capa maravilhosa.
    Narrativas mais lentas ou você gosta muito, ou não gosta nada. Que bom que essa te prendeu, pelo menos na metade.
    Adoro livros o fim nos surpreende. Fiquei curiosa.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  6. Oi, Gabrielle!
    Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas essa capa é maravilhosa!
    Ainda bem que o livro ganhou ritmo. Eu já teria ficado agoniada com esse livro antes da metade. rsrsrs... Ainda assim fiquei curiosa para saber os segredos de Irina.
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  7. Oiee Gabi ^^
    Normalmente eu fico um pouco decepcionada quando o livro não possui um ápice na história, ou quando não é uma montanha russa de emoções. Mas tem horas que ler tantos livros com romances súbitos e explosivos cansa, né? Ainda não conhecia "O amante japonês", mas confesso que fiquei bastante curiosa para ler, principalmente depois de ver que o final te trouxe tantos sentimentos.
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi, Gabi!
    Pouco conheço dos livros da autora, mas ela é sempre bem recomendada. Gostei de saber de mais essa dica. Às vezes a narrativa não carece de uma paixão arrebatadora para encantar o leitor, esse parece ser o caso.
    Bjos!
    Por essas páginas

    ResponderExcluir
  9. Oie!

    Achei a capa desse livro muito Bonita, mas a historia não despertou meu interesse, parece ser uma historia muito boa, mas dessa vez passo a dica!

    Bjss

    ResponderExcluir
  10. Oi, Gabrielle!
    Nossa, esse livro :3 Eu gosto dessa história justamente por não precisar ter um momento super hiper mega lá em cima, sabe? É uma trama tão constante, com um amor já tão sólido (bem como você disse), que me deixou com uma sensação muito boa quando terminei a leitura :) (e sim, esse final é... sem palavras!)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. oi, gabriele, bacana ver que você gostou dessa história e que ela te causou esse misto de sentimentos tão intenso. EU nunca li nada da Isabel, mas confesso que tenho uma grande curiosidade, que espero poder saciar um dia.

    ResponderExcluir