[Resenha] Alzheimer - A família, a doença, Érico J. Santos


Título: Alzheimer – A família, a doença
Autor: Érico J. Santos (cortesia)
Editora: Talentos da Literatura Brasileira
Páginas: 160
Onde comprar: Amazon

“O momento mais importante da vida é o agora, então se sinta vido e ame agora.”

Alzheimer – A família, a doença é um livro de não ficção que conta um pouco da vida do autor, Érico J. Santos, sobre sua experiência com uma das doenças mais temidas da atualidade: o Alzheimer.

Ele migra por situações de como lidar com essa doença desde de com a pessoa doente, no fato de aceitar os momentos de rebeldia, como lidar com os familiares e, principalmente, como o cuidador não ficar doente também.

“O tempo passa com a mesma intensidade para todos, mas infelizmente deixamos para amanhã soluções que exigem respostas agora. Não podemos esquecer que o dia mais importante da nossa vida sempre será o dia de hoje. De que vale o dia de amanhã se eu tiver a doença hoje? De que me serve o dia de amanhã se eu tiver lembranças da tristeza do hoje? De que me adianta o dia de amanhã se eu não tiver vivido hoje o melhor e o maior dia da minha vida?”

Não há muito o que dizer sobre esse livro, primeiro, porque ele não apresenta uma história em si e segundo porque o entendimento do livro vai muito de pessoa para pessoa.

Uma amiga do trabalho tinha uma mãe em estágio avançado do Alzheimer e, quando a conheci, foram alguns minutos de extrema aflição, a senhorinha, extremamente simpática e educada, repetia as mesmas perguntas incansavelmente. Em outro momento, com essa mesma senhora, ela não estava com a doença e conversou normalmente comigo. O autor retrata esses momentos e nos faz refletir sobre aproveitar àqueles que amamos antes, sobre valorizar o agora e amar incondicionalmente.


No entanto, o que mais me tocou nesse livro foi ver como esse livro descreveu, praticamente, o que passei com minha avó. Infelizmente, o diagnóstico dela foi tardio quando a demência – sim, o Alzheimer é uma demência – já estava muito avançado. Então, esse livro foi doloroso, preciso confessar, eu me senti revivendo tudo aquilo e não sabia o que fazer, então, chorei em alguns momentos.

“Alzheimer, a doença terrível que nos maltrata, humilha e nos torna frágeis, dependentes e incapazes, não nos permite sentir emoções e vibrações que só o amor é capaz de oferecer.”

Apesar de o livro ter me agradado em muitas esferas, acho que o autor poderia ter trabalhado um pouco mais os exemplos da doença, pois o livro ficou repetitivo em alguns momentos. Mas, o livro não deixa de ter uma mensagem linda sobre amor e que deve agradar muitos leitores.


Classificação:

9 comentários

  1. Eu morro de medo dessa doença. =/
    E confesso que iniciei a leitura da resenha com a expectativa e curiosidade de conhecer mais a respeito, mas como vc mesma disse (e sentiu) o autor deveria ter se aprofundado mais na doença em si..
    Mesmo assim quero dar uma chance pra essa leitura *_*

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  2. Olá. Me interesso bastante por temas como esse, pois minha primeira área de atuação profissional é a saúde e já lidei com casos com essa patologia.
    Livros assim santo de trazem um pouco de conhecimento, sensibilidade e reflexões.

    Beijos.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
  3. Oiii Bruna

    Eu tive que lidar com a doença de perto. Minha avó paterna sofreu alguns anos de Alzheimer e foi bem triste, ver como uma pessoa batalhadora, esperta e ativa foi se tornando praticamente criança outra vez, espero que um dia haja cura pra isso porque não é facil não. Não sei se leria esse livro, acho que me despertaria um sem fim de lembranças que honestamente não sei se quero relembrar, mas pra quem tem interesse no tema pode ser uma dica interessante com certeza.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  4. OOiii!

    Nunca vivenciei nada que seja parecido com essa doença, mas eu achei muito interessante a forma como foi trabalhado no enredo.
    Não leria no momento, mas não descarto a possibilidade.

    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Oi, Bruna. Eu já tive convívio com pessoas que sofreram com essa doença, é algo muito terrível.
    Eu não compraria o livro, mas acredito que deva ser uma boa leitura para quem se interesse. Eu gostei de ver a sua resenha sobre ele, curtinha mas muito bem explicada.

    ResponderExcluir
  6. Fico pensando como esse livro deve ter sido doloroso pra voce, é como se revisitasse alguns momentos de sua vida, ne? Não sei se eu teria carga emocional para ler algo assim, apesar do autor falhar em alguns pontos, sem duvida alguma é uma leitura que toca.

    ResponderExcluir
  7. Realmente quando a gente conhece alguém que viveu com alzheimer livros que possuem o tema nos trazem lembranças. Ao mesmo tempo ele realmente parece abordar pouco da doença, é mais como se fosse um livro de ajuda mesmo.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  8. Oi, Bru, parece um lindo livro, ainda mais por ter se tratado para você de um caso pessoal. Também conheço essa doença de perto, pois tenho um tio nesse estágio e é bastante triste ver tudo isso. Uma pena que tenha havido essa repetição em alguns momentos, mas bacana que ainda assim você aproveitou a história.

    ResponderExcluir
  9. Olá
    Estou bastante intrigada por ler esse livro, eu tenho curiosidade para saber mais sobre essa doença e por meio de livros não ficção é ainda mais interessante dica anotada

    ResponderExcluir