[Resenha] A guerra que salvou minha vida, Kimberly Brubaker Bradley - A guerra que salvou minha vida #1


Título: A guerra que salvou minha vida
Série: A guerra que salvou minha vida #1
Autora: Kimberly Brubaker Bradley
Editora: DarkSide Books
Páginas: 240
Onde comprar: Amazon

“E, mesmo com a sensação de que a Mãe me odiava, ela tinha que me amar, não tinha? Tinha que me amar, pois era minha mãe (...)”

A guerra que salvou minha vida nos apresenta à história de Ada e Jamie, dois irmãos que vivem em Londres com uma mãe que trabalha bastante e que vive maltratando os dois, principalmente, Ada.

Ada nunca saiu de casa para não envergonhar sua mãe. Ela tem um problema em seu pé e vive dentro de casa observando a vida passar por uma pequena janela na sua sala. É de lá que ela vê seus vizinhos e seu irmão brincando e tendo uma vida. Ada é proibida de sair de casa até para usar o banheiro que fica do lado de fora, afinal, ela é uma vergonha. Ela tem os pés tortos e não anda, quem quereria ela nas ruas? As pessoas não gostam dela. É isso que a mãe coloca em sua cabeça o tempo todo.

“’Você não passa de uma desgraça!’, ela gritava. ‘Um monstro, com esse pé horrível! Acha que eu quero o mundo todo vendo a minha vergonha?’ Ameaçou tapar minha janela com tábua se eu voltasse a descer. Era sempre a mesma ameaça.”

Estamos na época da Segunda Guerra Mundial e os bombardeios de Hitler fazem com que surja uma esperança para Ada e Jamie: eles podem viajar para o interior e buscar uma vida melhor. Em um golpe de coragem e bastante sorte, os dois acabam embarcando num trem para o interior, no entanto, ao chegarem lá, ninguém quer abriga-los o que faz com que a inspetora os leve para a casa de Susan, uma moça bastante reclusa que, apesar de não desejar ter ninguém em casa, abriga as duas crianças e suas vidas são mudadas completamente.

“’Não se preocupe’, ela disse, quase como se eu tivesse alguma importância. ‘Eles estão errados. A gente vai dar um jeito. Eu sei que você não é burra’, ela prosseguiu, ‘Gente burra não pode cuidar do irmão do jeito que você cuida. Gente burra não tem a metade da sua coragem. Nem metade da sua força.’”

Mesmo tendo terminado esse livro há quase três meses, tenho sua história tatuada em minha mente e derramo lágrimas sempre que penso em Ada, Jamie e sua história de vida. Esse livro é doloroso e não só pela guerra, ele é doloroso por mostrar o quanto uma mãe pode não amar seus filhos e como isso influencia em como eles vão agir no futuro.


Ada é uma menina muito machucada, mas que não mede esforços para proteger seu irmãozinho. Ela não consegue confiar em Susan e nem na sua bondade. Ela acha que, a qualquer momento, ela vai bater nela e trancá-la, como sua mãe fazia. Essa foi a mudança mais significativa que já vi em um livro. Ada aflora, ela solta suas amarras, ela abre mão de seus sofrimentos e tenta levar uma vida normal.

“Eu não sabia o que dizer. De alguma forma, o Natal estava me deixando apreensiva. Todo aquele falatório de união, felicidade, celebração... era assustador. Como se eu não devesse fazer parte daquilo. Como se não tivesse permissão. E a Susan queria que eu ficasse feliz, o que era ainda mais assustador.”

Também é muito legal ver como a Susan muda, como ela se doa para as crianças e como nós ficamos felizes com as escolhas que ela faz. Com relação a Jamie, ele é uma criança muito nova, que foi, até certo ponto, amado pela mãe, então ele sente falta dela. Isso me irritou um pouco, mas pude perceber a importância desses atos quando o livro chegou ao final. E que final!

Eu não esperava sentir ainda mais emoção no final. Não esperava que meu coração fosse querer sair pela boca como aconteceu. A guerra que salvou minha vida foi um livro extraordinário em todos os sentidos imagináveis e é muito difícil encontrar palavras para descrevê-lo. Espero que o outro livro dessa autora me encante ainda mais.

Classificação:

11 comentários

  1. Estou louca para esse livro e sua continuação. Saber que a história ficou tatuada na sua mente reforça meu desejo, pois amo leituras marcantes, ainda mais quando temos crianças no enredo, só em ler a resenha já sinto pela situação de Ada. Espero ler em breve e gostar tanto quanto você.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Bruna.
    Eu morro de vontade de ler esse livro, a premissa dele me atrai bastante e gostei de conferir a sua opinião sobre a leitura. Acho que é um livro bem emocionante e espero gostar quando eu finalmente for ler.

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem?

    Só vejo boas criticas em relação á esse livro. E por conta disso, tenho vontade de ler. Além da capa ser bonitinha. Tinha esquecido de anotar o nome do livro, agora não vejo a hora de ler.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Esse livro foi um dos meus prediletos da vida, e ler esse quotes me fez querem ele de novo, pode?! hahaa Ainda não li a continuação e quero muito reencontrar a Ada!
    Parabéns pela resenha ! <3 E obrigada por esquentar meu coração novamente com a lembrança desse livro!

    ResponderExcluir
  5. Nossa não sabia que esse livro era tão tocante, todos falam maravilhas dele, mas confesso que ainda não me senti fisgada pelo enredo. Mas enfim o importante é que foi uma leitura importante para você. Parabéns pela leitura e valeu pela dica. Quem sabe um dia!!??

    ResponderExcluir
  6. Jesus, Bruna! Que triste, uma mãe não amar seus filhos e com certeza marcou a vida das crianças e se mexeu tanto com você fico imaginando o que não fará comigo que tendo a mergulhar de corpo e alma na trama, não, decididamente não é para mim que vou ficar literalmente acabada.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem? Vejo que esse livro ficou muito conhecido, mas ainda não tive oportunidade de lê-lo. Espero que isso mude em breve, pois pela sua resenha posso ver que irei gostar bastante. Adorei!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Olá Bruna!
    Desde que vi esse livro fiquei bem empolgada para lê-lo. A capa me chamou a atenção logo de cara e depois de saber do que se trata a história fiquei com mais vontade de ler. Adorei saber a sua opinião sobre ele e assim que puder vou ler.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  9. Quando vi a capa deste livro, fiquei totalmente encantada por ele e senti muita vontade de ler... Após conhecer sua sinopse, este desejo se manteve, mas ainda não realizei a leitura... Ler sua resenha, que está muito gostosa de ler, me relembrou do livro e reacendeu a vontade de realizar a leitura...

    ResponderExcluir
  10. Amo de paixão esse livro, a intensidade dos acontecimentos e a protagonista que me encantou desde o primeiro momento. O segundo livro também é lindo, mas o primeiro é sensacional, uma história de superação apaixonante.
    Linda resenha.

    Beijokas

    ResponderExcluir
  11. Olá
    Eu já vi muitas resenhas desse livro, mais nenhuma delas me deu vontade de ler esse livro imediatamente como essa deu agora que eu quero ler esse livro dica anotada

    ResponderExcluir