[Resenha] Coragem, Rose McGowan


Título: Coragem
Autora: Rose McGowan
Editora: HarperCollins Brasil (cortesia)
Páginas: 288
Onde comprar: Amazon

“Acredito muito que a vitória para uma de nós é uma vitória para todas nós.”

Coragem é uma autobiografia escrita pela atriz hollywoodiana Rose McGowan. Rose, para quem não conhece, atuou no filme Pânico (1996), Malucos por Natureza (1996), na série Charmed (2001-2005) entre tantos outros filmes que a consagraram como uma ótima atriz e a destruíram como mulher, mas vou explicar tudo ao longo da resenha.

O primeiro capítulo do livro, após a Nota da autora, Prefácio e Apresentação, chama-se Filha de Deus. Confesso que esse título me fez pensar que seria a apresentação de uma infância boa, de acontecimentos bons na vida de Rose, mas está longe de sê-lo. Rose nasceu em uma seita religiosa, Meninos de Deus, no interior da Itália, ela sofreu abuso das pessoas porque, aparentemente, não conseguia aceitar Deus em seu coração. Nessa seita, o líder pregava a liberdade de amar, independente de união civil ou parentesco. O sexo era visto como uma forma de união e, acredito, alcance supremo.

“Apesar de todas as falhas de minha infância, me considero sortuda por ter sido criada com uma sensibilidade europeia. Nosso background era a Itália, com toda a sua história, arquitetura e arte. Acho que a Europa e as outras culturas têm um senso de ritmo e tempo diferentes. Acredito que o sistema, principalmente o norte-americano, que é o que conheço melhor agora, é violentamente determinado a oprimir o livre-pensamento e aqueles que ele chama de ‘outros’. Estou aqui para dizer que o que não importa são os ‘outros’.”

O pai de Rose junta seus cinco filhos e foge desse lugar, já que as crianças estavam sendo ameaçadas. Seria um novo começo para uma menininha de apenas 9 anos? Claro que não! Com 13 anos, Rose foge de casa e fica oscilando entre estar em uma casa com seus familiares e viver na rua. Nessa época de sua vida, ela passa por muitas coisas ruins, mas, ela vê apenas o que o ser humano é capaz de fazer e como ele é asqueroso quando pisa em Hollywood e vê o que esperam que ela faça, porque é normal.

A primeira aparição de Rose em Hollywood é aos 17 anos, no ano de 1992, com o filme O homem de Califórnia. Talvez fosse um novo recomeço, longe da seita onde iniciou sua vida e das seitas que participou ao longo da vida, mas dentro de uma seita muito mais complexa, doentia e sofrida. Nessa fase da sua vida, Rose sofre abuso sexual e, ao tentar se defender, descobre que ela estava apenas atuando, não poderia denunciar seu agressor. E são inseridos diversos pensamentos nesse sentido dentro da mente de uma mulher que já tinha sofrido para caramba no passado.


Como se nada disso tivesse bastado, ela precisa se objetificar, se mostrar perfeita e como as pessoas querem. Ela é utilizada na televisão como algo que só é usado pelas pessoas, por homens tendo apenas visão sexual sobre seu corpo e as mulheres por quererem ser o que ela é. É doloroso demais acompanhar isso e ver o quão certa Rose está. Coragem surgiu com o desejo de Rose de quebrar paradigmas de mostrar que a mulher que sofre não está sozinha, que dizer a verdade e o que acontece com você não é, não foi e nunca será errado.

“Meus cabeleireiros eram homens gays e eu era a Barbie deles; pelo menos, era o que eles diziam. Eu não me achava parecida com a Barbie. Eu me achava mais parecida com uma boneca inflável, daquelas com um buraco no lugar da boca. A máquina de Hollywood tinha me transformado no maior brinquedo sexual já visto. Todos os homens e as mulheres contratados para que eu parecesse essa tal boneca inflável fizeram um bom trabalho, porém eu estava morrendo por dentro e sentia vergonha da minha aparência. Mas eu não sabia como mudar o que estava errado tendo tantas coisas erradas na minha vida.”

Como estava conversando com algumas amigas sobre esse livro, uma autobiografia não pode ser julgada por sua história, afinal, é a história de vida de alguém, então, optei por avaliar Coragem com relação a escrita da autora e lições de vida que ele passa.

O primeiro quesito de avaliação me surpreendeu bastante. Não sei se Rose escreveu o livro sozinha, ou se teve ajuda de alguém para escrevê-lo, porque eu achei a escrita extremamente boa, envolvente e nada cansativa por conta do gênero, que já nos dá um certo receio. Então, aqui, Coragem ganha um ponto bastante positivo.

Com relação ao segundo item – lições de vida – só posso dizer que livro do cara***. A autora nos dá lição página após página, nos ensina sobre a vida, sobre a importância do feminismo e de nos ajudarmos, sobre o quanto somos importantes enquanto somos úteis, sobre a importância de dizermos ao mundo o que está acontecendo e precisamos investigar e proteger as pessoas que precisam da nossa proteção, não é, simplesmente, achar que cada um pode caminhar com suas próprias pernas, porque é normal nos sentirmos mal as vezes.

Não esperava que esse livro me tocaria e que eu gostaria dessa leitura tanto quanto gostei. Assim que fechei Coragem tive vontade de começar a ler tudo de novo para poder falar mais e mais sobre esse livro e entregar um exemplar dele para cada pessoa no mundo, para que elas pudessem ter seu coração tocado como tive o meu.

“Podemos ser melhores pensando diferente”

Coragem é uma autobiografia que não é nada narcisista, que é essencial para todos os movimentos que temos hoje e para que todas as mulheres do mundo vejam a realidade por trás da pseudo perfeição que Hollywood prega.

“Em uma sociedade ditada pelo que vemos na TV, a verdade é que o que você tem assistido e consumido desde quando nasceu formou quem você é e continua formando. Mesmo aqueles que decidiram não entrar nessa falsa realidade precisam ficar atentos para se manterem livres das mentiras e das mensagens que fazem muito mais mal do que deveriam. Porque elas são traiçoeiras, e estão em todos os cantos.”

Classificação:

15 comentários

  1. Já tinha visto uma chamada para esse livro nas redes sociais e achei interessante o assunto abordado. Leituras reflexivas, que te torna pensante e mais humano são super válidas.

    Gosto de leituras feministas que incentivam a União e apoio entre si, todas nós queremos um mundo melhor para todos e primacialmente para as mulheres, que ainda nos tempos de hoje, apesar de tantas conquistas, tem muito pelo que lutar.


    Uma leitua que eu considero interessante e válida.

    Beijos.

    www.lamparinas.com

    ResponderExcluir
  2. Eu acredito que este seja um dos livros mais comentados nos últimos tempos. Pela coragem(dã, título),mas pela realidade dura e crua que a atriz/autora, colocou em relatar sua história.
    Eu ainda não pude ler o livro,mas ele já está na lista de mais desejados.
    Ainda mais nesta época onde as mulheres tem aprendido à duras penas não ficarem caladas diante da violência masculina, ouvir esse grito de Rose é algo que todas nós precisávamos ler!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. É uma dificuldade enorme ver o quanto a fama torna as pessoas vulneráveis. Se tornar a Barbie dos cabeleireiros, ou melhor se achar assim, perdida em uma multidão né? E por tudo o que ela passou e ainda conseguir respirar. Eu não creio que conseguiria.

    ResponderExcluir
  4. Oi Bru, eu amei esse livro, considero já uma das melhores leituras do ano. A Rose dá cara tiro que impressiona rs Eu já gostava da atriz por causa de Charmed e depois da leitura passei a ser mais fã ainda. De fato ela escreve super bem!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  5. Bru, comecei o livro achando muito chato, mas caramba, não estava preparada para a forma como ele me emocionou em vários momentos. Concordo com você sobre o quesito Lições da Vida, o livor me fez refletir sobre muitas coisas importantes.
    Beijos

    observação: obrigada por ter conversado comigo durante a minha leitura.

    ResponderExcluir
  6. Oi! Não sou uma leitora frequente de biografias, e não por serem biografias, mas não me interessar mesmo. Mas nesse caso, tenho de concordar, que esta biografia precisa ser lida! Neste contexto atual, o feminismo está com uma imagem contrária do que realmente é, e uma voz, que possa ser ouvida no mundo todo, e nessa magnitude é mais que necessária! Deve ser leitura para todos que buscam a igualdade, respeito e justiça!


    Bjoxx - http://www.stalker-literaria.com/

    ResponderExcluir
  7. Oi, nao costumo ler biografias, mas essa está sendo tão comentada que estou ficando mais curiosa para ler esse livo. Por tudo que temos visto na midia, acho que essa será uma leitura enriquecedora. Gostei muito de ver as suas impressões.
    Bjs
    Tell me a Book

    ResponderExcluir
  8. “Acredito muito que a vitória para uma de nós é uma vitória para todas nós." Uma vida com muita dificuldade e uma história de superação que faz jus ao título!! Pelo que li até agora sobre essa obra, a Rose é um exemplo para todas as mulheres.

    Beijo,
    Cidália.

    ResponderExcluir
  9. Oi Bru!

    Tudo bem? Então, quem ficou com esse livro no blog foi a Aninha, mas por tudo que já li sobre ele parece ser uma história bem intensa e tenho bastante curiosidade de saber um pouco mais sobre essas questões apresentadas pela Rose, especialmente nessa época onde estamos falando tanto sobre o Times Up.

    Eu acredito que vi um stories onde você falou algumas coisas enquanto estava lendo Coragem, então não fiquei surpresa com a sua opinião na resenha. Cada opinião que leio a curiosidade aumenta para saber mais sobre esse livro que todo mundo tem descrito como forte e honesto.

    Beijinhos
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  10. Apesar de estar lendo muitas resenhas desse livro ultimamente, muitas mesmo!!, eu não consigo me interessar pela obra. Primeiro porque não curto biografias, e segundo porque não conheço nada dessa autora. Nunca assisti o seriado ou acompanhei sua carreira. :/
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  11. Ja havia visto outras resenhas desse livro auto biografico e fique bastante curiosa pra ler, apesar que uma bografia não é muito minha leitura favorita, mas parece se interessante. Sucesso

    ResponderExcluir
  12. Oi Bruna...

    Menina a sua reação lendo o livro me descreveu bastante, sabe pq? Eu não sou uma fã de biografias e eu literalmente fujo desse tipo de livro. Peguei coragem de forma despretensiosa e quando percebi já estava quase na metade do livro.
    Adorei a sua resenha e ela transpassou por incrível que pareça, muitas das coisas que eu senti lendo também.

    beijos,
    Mayara

    ResponderExcluir
  13. Oiii tudo bem??

    Li outra resenha sobre esse livro, e fico impressionada como um livro possa ter duas visões diferentes, o que você citou, não foi o que ela citou hauahua.
    Adoro isso, a sua resenha mostra como Hollywood não é isso tudo. Que tudo tem seu custo e seu problema.
    Adorei a resenha,
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  14. Olá!

    Essa não é a primeira resenha que leio sobre esse livro, mas a opinião bate com a sua. Fiquei curiosa, mesmo sendo o tipo de pessoa que lê biografias, lendo sua resenha ficou ainda mais claro que é um história que precisa ser lida, pois tem muita coisa para ensinar. Pretendo ler em breve e espero gostar tanto quanto minhas expectativas no momento.

    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Olá, tudo bem?
    Quando ouvi falar sobre o livro, não imaginava que seria uma biografia tão reveladora e avassaladora assim. Interessante conhecer a atriz por trás das câmeras, e como sua vida passou por tantas reviravoltas e problemas. Já anotei a dica aqui.

    ResponderExcluir