quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

[Resenha] Antes de tudo acabar, Mary C. Müller

Título: Antes de tudo acabar
Autora: Mary C. Müller
Editora: Outro Planeta (cortesia)
Páginas: 256
Onde comprar: Amazon | Saraiva

“Talvez seja apenas o nosso desejo de ser reconhecido. Queremos tanto fazer parte de um grupo e ser aceitos por ele que outras pessoas podem criar poder sobre nossas ações, se aproveitando da nossa instabilidade emocional ou coisa parecida. E como olhar para o lado e perceber que há algo errado em nosso relacionamento?”

Assim que vi o lançamento do livro Antes de tudo acabar, quis fazer a leitura e tive a ideia que seria um livro leve, envolvente e gostoso de se ler. Apesar de não ter sido leve, foi um livro envolvente e gostoso de se ler. Essa obra nos apresenta à história de Rafael, um jovem que não se encaixa nos padrões que estamos acostumados a ver por aí.

Ele tem apenas uma amiga, Anne, que também não é aceita por todos e enfrenta muitos problemas com o pai ausente e que faz coisas terríveis. Os dois sempre foram carne e unha. Eles tinham a chave da casa um do outro e estavam o tempo todo juntos, mas as coisas mudam quando algumas coisas acontecem: Anne começa a namorar, o pai de Rafael resolve procura-lo com uma irmã a tiracolo e Rafael tem a ideia que está apaixonado por Anne. 
“Sempre achei interessante como na escola você é definido pelas roupas que veste ou pela música que ouve. No meu caso, as calçadas skinny (“como você entra disso, ô, imbecil?”), a camiseta de banda (“você tem que ter problemas mentais para escutar isso”) e o cabelo (“seu emo tosco”) era os maiores motivos de provocações. Sendo que nem franja eu tinha. Aparentemente, o simples fato de você não gostar da anda da modinha era o suficiente para ser considerado anormal. (...)”

Em meio a todos esses acontecimentos, Kaori, uma nova aluna da turma chega e começa a mudar. Como Rafael poderá fazer sua vida seguir em frente? Ele está, realmente, apaixonado por Anne?


Como disse, essa leitura foi envolvente e gostosa de se fazer, mas não foi nada leve. O primeiro ponto alto do livro foi, sem dúvidas, a narrativa. Ela acontece em primeira pessoa e pelo ponto de vista de Rafael e, apesar de ter escrita por uma mulher, a narrativa não pareceu afeminada em momento algum.

Rafael foi um personagem que tocou meu coração nas primeiras páginas. Eu achei sua personalidade magnífica, apesar de um pouco imatura no começo. Ele passa por inúmeras situações complicadas, primeiro com o pai que o abandonou, depois com a mãe alcoólatra e, agora, o problema com Anne e Kaori e a possível existência de um triângulo amoroso, apesar de, vale frisar, não ser o foco do livro.

Já Anne foi uma personagem que eu não consegui aceitar, eu tive preconceito em relação ao que acontecia com ela e senti até inveja da amizade dela com Rafael. Eu já fui amiga de um homem e sei como é a situação. A única coisa que não funcionou muito bem nesse livro foi que o sentimento entre os dois não parecia ser tão crível. Eles tinham um laço de amizade muito bonito, mas não o Rafael não parecia ter um sentimento verdadeiro por Anne. Eu compreendi, após a leitura do livro, que isso era necessário para que a trama desenrolasse.

Felizmente, ao finalizar a leitura, simpatizei com a Anne e me encantei completamente com ela. Eu senti empatia por ela. Senti a necessidade de compartilhar com o mundo o que ela tinha passado e como ela devia se sentir, assim como todo o resto do mundo deveria agir. Nesse momento, a Mary poderia ter trabalhado isso de uma forma mais profunda, mas entendi a leveza que ela quis passar, mesmo com a complexidade do tema.

Já Kaori foi amor à primeira vista. Eu me encantei por ela de cara. Tudo nela me agradava, a forma como ela lidava com a vida, como demonstrou maturidade nos momentos necessários e como ela foi construída. O envolvimento dela com Rafael me conquistou completamente.


A única coisa grande ressalva que tenho para fazer em relação a essa história é que temos uma situação de automutilação que acontece nesse livro que não foi trabalhada. Ela foi pincelada, parece que a autora colocou a situação ali apenas para demonstrar que pessoas tem vícios diferentes. Ela deveria ter trabalhado isso com mais profundidade, pois não é algo fácil de se lidar e me incomodou bastante, principalmente, por ter lido outros livros que trabalham o tema com profundidade e propriedade. 
“Fiquei ali observando as gotas vermelhas brotarem da ferida antes de lavar o braço e esconder os cortes com uma munhequeira. Eu me sentia culpado por me cortar e me cortava por me sentir culpado. Só por isso dá para imaginar como a culpa, a vergonha e o medo faziam parte de mim. Aonde aquilo me levaria? Era um círculo vicioso doentio do qual eu não via saída.”

Entretanto, apesar da ressalva que citei no parágrafo anterior, esse livro traz uma lição muito interessante sobre vários temas importantes e é uma leitura que vai fazer a mente de jovens adultos mudar e agradar o leitor.


Classificação:

12 comentários:

  1. Estou de olho neste livro desde que o vi pela primeira vez em outro espaço. Mas não havia parado de fato para ler nem a sinopse.
    Achava que era totalmente diferente o enredo,mas gostei muito de tudo que li acima! Amo histórias assim, complexas,mas que trazem essa ponta de realidade, de situações que nós já vivemos ou que conhecemos alguém que já viveu ou vive.
    Lista de desejados com certeza!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Bom, acho que principalmente a questão da mutilação não pode entrar em um livro e ser somente pincelada né? Acho que isso deveria ser bem explicado, ao menos que a autora não quisesse expor demais no personagem, mas depende de quem lê vai entender diferente. Eu passei por isso e sei mais do que ninguém as opiniões que cada um tem sobre.

    ResponderExcluir
  3. O livro me chama atenção pela capa, que é linda, depois o título, que é muito sugestivo a pessoas de coração mole como eu e o enredo... parece ser perfeito.
    Não conhecia o livro, mas anoto, pois quero ter o coração tocado pelo protagonista, em relação a sua ressalva acredito que o foco disso talvez tenha sido querer demosntrar como a situação era desesperadoura, mas podia passar sem né?!

    Beijos
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oii
    Concordo com você sobre a parte da automutilação, deveria ter sido mais trabalhada mesmo, é um tema importante. Não li esse livro ainda, mas apesar dessa sua ressalva, quero muito ler ele, já tinha visto no Skoob e super me interessei, espero conseguir ler um dia. Adorei a resenha.
    Bjos, Bya! 💋

    ResponderExcluir
  5. Oie!
    Eu ainda não li o livro, e fiquei chateada em saber que um assunto tão importante quando a automutilação não ter sido aprofundado. Mesmo assim, estou anotando essa dica para conferir. Fiquei com vontade de ler essa história.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  6. Olá...
    Ainda não conhecia a obra em questão, mas, adorei seus comentários sobre a obra! Achei a premissa muito legal e pelos seus comentários a obra possui vários elementos que me atraem em uma leitura... Apesar dessa ressalva, que na minha opinião foi um erro bem grandinho, ainda espero poder ler em breve <3
    Valeu pela dica!
    Bjo

    ResponderExcluir
  7. Oi, Bru!
    Não conhecia o livro, mas fiquei encantada com o enredo. Parece ser aquele livro amorzinho que enquanto você não termina não desgruda e quando termina tem vontade de abraçar. É tão bom quando não gostamos de um personagem e no fim acabamos morrendo de amores por eles. Mesmo com sua ressalva quero muito fazer a leitura do livro, pois você falou tão bem em outros pontos que me senti atraída pelo enredo. Só a capa que não achei tão bonita assim, mas parece que se encaixa perfeitamente com o enredo.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Oi, Bruna!
    Senti que o Rafael não estava mesmo apaixonado pela Anne pela sua resenha.
    Talvez por toda a sua situação de vida no momento, os sentimentos possam ter se confundido. Fiquei bem curiosa para realizar a leitura. ^^
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Humm não sei se leria esse livro. Apesar da premissa chamar atenção, o desenrolar e sobre as ressalvas mencionadas me deixam um pouco receosa com a trama.
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  10. Oi.
    Não conhecia o livro e acho que me acostumei tanto com livros leves que fujo um pouco quando o livro parece trazer um enredo mais denso. Mas estou tentando sair da minha zona de conforto no momento e gostei da premissa do livro e da sua resenha, por isso anotei a dica.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Tinha visto esse livro mas não havia me interessado por ele, mas agora após ler a sua resenha eu fiquei mega curiosa. Fico feliz que tenha gostado da obra apesar da observaçãozinha sobre o fato não trabalhado. Eu amei a sua resenha, me cativou ao ponto de eu desejar conhecer a obra ❤️

    Um beijo

    ResponderExcluir
  12. Oi Bruna, essa é o tipo de capa que chama a minha atenção e gostei da sinopse também. Acho que se fizer a leitura irei me emocionar com o Rafael também. Será??? espero.
    Adorei as fotos... amo borboletas!!!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir