domingo, 15 de outubro de 2017

Literatura Africana

Oioi leitores,

Como vocês estão? Hoje decidi fazer um post rapidinho para lembrar que existem vários autores fora do eixo EUA-Inglaterra, que são maravilhosos. Hoje estou aqui para falar com vocês sobre cinco livros de escritores africanos que quero muito ler!


Hibisco Roxo, Chimamanda Ngozi Adichie
Em um romance que mistura autobiografia e ficção, Chimamanda Ngozi Adichie - uma das mais aclamadas escritoras africanas da atualidade - traça, de forma sensível e surpreendente, um panorama social, político e religioso da Nigéria atual.
Protagonista e narradora de Hibisco roxo, a adolescente Kambili mostra como a religiosidade extremamente "branca" e católica de seu pai, Eugene, famoso industrial nigeriano, inferniza e destrói lentamente a vida de toda a família. O pavor de Eugene às tradições primitivas do povo nigeriano é tamanho que ele chega a rejeitar o pai, contador de histórias encantador, e a irmã, professora universitária esclarecida, temendo o inferno. Mas, apesar de sua clara violência e opressão, Eugene é benfeitor dos pobres e, estranhamente, apoia o jornal mais progressista do país.
Durante uma temporada na casa de sua tia, Kambili acaba se apaixonando por um padre que é obrigado a deixar a Nigéria, por falta de segurança e de perspectiva de futuro. Enquanto narra as aventuras e desventuras de Kambili e de sua família, o romance também apresenta um retrato contundente e original da Nigéria atual, mostrando os remanescentes invasivos da colonização tanto no próprio país, como, certamente, também no resto do continente.

No seu pescoço, Chimamanda Ngozi Adichie
Os contos magistrais da premiada autora do best-seller Americanah chegam ao Brasil em aguardada edição.
A escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie vem conquistando um público cada vez maior, tanto no Brasil como fora dele. Em 2007, seu romance Meio sol amarelo venceu o National Book Critics Circle Award e o Orange Prize de ficção, mas foi com o romance seguinte, Americanah, que ela atingiu o volume de leitores que a alavancou para o topo das listas de mais vendidos dos Estados Unidos, onde vive atualmente. Ao trabalho de ficcionista, somou-se a expressiva e incontornável militância da autora em favor da igualdade de gêneros e raça.
Agora é a vez de os leitores brasileiros conhecerem a face de contista dessa grande autora já consagrada pelas formas do romance e do ensaio. Publicado em inglês em 2009, No seu pescoço contém todos os elementos que fazem de Adichie uma das principais escritoras contemporâneas. Nos doze contos que compõem o volume, encontramos a sensibilidade da autora voltada para a temática da imigração, da desigualdade racial, dos conflitos religiosos e das relações familiares.
Combinando técnicas da narrativa convencional com experimentalismo, como no conto que dá nome ao livro — escrito em segunda pessoa —, Adichie parte da perspectiva do indivíduo para atingir o universal que há em cada um de nós e, com isso, proporciona a seus leitores a experiência da empatia, bem escassa em nossos tempos.

Desonra, J.M. Coetzee
Sucesso de público e crítica - foi publicado em mais de vinte países e ganhou o Booker Prize, o mais importante prêmio literário da Inglaterra -, Desonra é considerado o melhor romance de J. M. Coetzee. O livro conta a história de David Lurie, um homem que cai em desgraça. Lurie é um professor de literatura que não sabe como conciliar sua formação humanista, seu desejo amoroso e as normas politicamente corretas da universidade onde dá aula. Mesmo sabendo do perigo, ele tem um caso com uma aluna. Acusado de abuso, é expulso da universidade e viaja para passar uns dias na propriedade rural da filha, Lucy.
No campo, esse homem atormentado toma contato com a brutalidade e o ressentimento da África do Sul pós-apartheid. Com personagens vivos, com um ritmo narrativo que magnetiza o leitor, Desonra investiga as relações entre as classes, os sexos, as raças, tratando dos choques entre um passado de exploração e um presente de acerto de contas, entre uma cultura humanista e uma situação social explosiva.

Mayombe, Pepetela
Escrito no período em que Pepetela participou da guerra pela libertação de seu país, Mayombe é uma narrativa que mergulha fundo na organização dos combatentes do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), trazendo à tona seus questionamentos, contradições, medos e convicções. Os bravos guerrilheiros que lutam no interior da densa floresta tropical confrontam-se não somente com as tropas portuguesas, mas também com as diferenças culturais e sociais que buscam superar em direção a uma Angola unificada e livre.

Conversas que tive comigo, Nelson Mandela
Nelson Mandela é um dos líderes políticos mais conhecidos e respeitados do mundo. A pessoa que leva esse nome é considerada um herói de seu tempo, uma das grandes figuras da História do século XX. Os quase trinta anos de prisão que passou junto com outros líderes de sua geração deram origem ao mito da criação da “nova África do Sul”. Sua vida foi apresentada em inúmeras publicações, de biografias a artigos em revistas, de filmes comerciais a documentários para TV, de livros em edições de luxo a suplementos de jornais, de canções de liberdade a poemas de louvor, de websites institucionais a blogs pessoais. Mas, quem ele realmente é? O que ele realmente pensa?
Conversas que tive comigo é a radiografia de um ícone que, aqui, se mostra uma pessoa comum, com suas inseguranças, temores, dúvidas e insatisfações. A obra oferece aos leitores acesso ao Nelson Mandela por trás da figura pública, a partir de seu arquivo pessoal, composto desde rascunhos de cartas e discursos a anotações pessoais, rabiscos feitos durante reuniões, notas em diário, relatos de sonhos e até registros de peso e pressão sanguínea e listas de afazeres.
Num relato direto e absolutamente pessoal, Mandela brinda o leitor com impressões, pensamentos e sentimentos que revelam o todo de um homem comum e, ao mesmo tempo, fascinante.

Vocês já leram algum desses livros? Tiveram contato com algum desses autores?


Beijinhos,

10 comentários:

  1. Que linda essa homenagem menina, gostei muito de saber a sua opinião e sempre fui fascinada pela literatura africana, que hoje e sempre deveria ser mais valorizada.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Oi, Bru!
    Parabéns pela postagem, super amei as indicações.
    Eu já li "Desonra" e foi um dos livros mais incríveis que já li na vida. Ele aborda uma série de temáticas importantíssimas. Achei até uma coincidência, pois hoje mesmo recebi a devolutiva de um professor sobre um ensaio que escrevi sobre esse livro. ♥
    Quero muito, muito, muito ler esses dois livros da Chimamanda, eles devem ser incríveis!
    Um super beijo!
    Thami, Blog Historiar.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Bruna.
    Os livros de autores africanos são pouco falados mesmo, aliás, quase não se fala aqui no Brasil de autores que não sejam dos Estados Unidos. Esses dias eu vi uma postagem sobre um autor argentino que terá a sua obra traduzida aqui para o Brasil e fiquei super curiosa. Dos livros que você citou eu quero muito ler o Hibisco Roxo, vi algum comentário sobre ele que me deixou interessada na leitura.

    ResponderExcluir
  4. Olá, acho que li pouquíssima literatura africana até hoje. Interessante o seu post. Comprei recentemente o livro No seu pescoço da Chimamanda Ngozi Adichie, estou bem animada para lê-lo, assim como os demais livros da autora.

    ResponderExcluir
  5. Oi Bruna! Obrigada por esse post! Achei bem legal a ideia de trazer autores fora do eixo comum. Nunca li nada desse autores, mas as premissas são super interessantes! Gostei demais, beijos!

    ResponderExcluir
  6. Quando pego um livro, nem levo em consideração a nacionalidade do autor, é a última coisa em que penso. Já li um livro da Chimamanda Ngozi Adichie, e adorei, por isso pretendo ler outros, inclusive Hibisco Roxo.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  7. Os dois primeiros livros eu já tinha ouvido falar, e confesso que o primeiro me chama bastante atenção. Os demais ainda não conhecia e fico feliz por ter
    mais está informação na minha vida literária. São livros com potencial, mas muito pouco divulgado em nosso meio, infelizmente.
    Uma ótima iniciativa.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Gosto bastante de variar minhas leituras e sempre incluo autores de outras nacionalidades. Dos livros citados ainda não li nenhum, mas Desonra já está na minha lista há algum tempo - parece ser realmente incrível. Sempre vale a pena ler autores diversos e principalmente de outros lugares para que conheçamos novas culturas e formas de expressão.

    ;*

    ResponderExcluir
  9. Não li nenhum dos livros e não tive contato com os autores, e o livro que mais me interessou foi um que eu nunca tinha visto: Desonra. A sinopse chamou muito minha atenção, tomara que eu tenha logo uma oportunidade de ler.

    ResponderExcluir
  10. Olá.
    Parabéns pelo post, fiquei bem curiosa para conferir dois livros. Hibisco Roxo e No seu pescoço. Nunca li nada parecido a fiquei curiosa.
    Amei o post.

    ResponderExcluir