sexta-feira, 29 de setembro de 2017

[Resenha] Adágios, José Vieira

Título: Adágios
Autor: José Vieira (cortesia)
Editora: Chiado Editora
Páginas: 100
Onde Comprar: Chiado Editora

"Viver é sentir constantemente que estamos numa roda viva. Que os outros são espelhos de experiências para nós. São ciclos que se perpetuam no tempo. As personagens vão se alterando. As cores do firmamento modificam a cada estação. No entanto a essência é a mesma. Viver! Caminhar! Cair! Levantar! E recomeçar tudo de novo!". 

Adágios é um livro único, que foge de todos os padrões do meu gosto literário. 

Ao receber o livro fiquei totalmente encantada com todos os detalhes contidos, tanto na capa quando ao decorrer das páginas. 

Ao procurar mais sobre o "autor", tive uma surpresa. José Vieira, na verdade, é o pseudônimo de Tereza Vieira Lobo.


Por puro esmero, interessei-me em saber um pouco mais sobre o significado de Adágios, e logo descobri que é aquilo que vem sendo repetido por gerações abarrotado de lições, e, assim que finalizei a leitura percebi que o título foi uma sacada genial do Autor, em entrelaçar histórias com tantos aprendizados com um título tão autêntico.
"Os ensinamentos da mãe tinham contribuído para que fosse uma criança alegre, destemida e optimista. Tinha uma fé inabalável em Deus. Acreditava que existia sempre uma solução para qualquer problema. Como dizia a avó materna: - Deus não fecha uma porta que não abra uma janela".  
Pois bem, Adágios nos traz cinco contos - O Milagre de Adelaide, A Tristeza de Josefina, As Lágrimas de Guilhermina, As Vivências de Eva e O Triste Fado de Graça - que em todos eles é demonstrada a força da mulher. 

Estes contos são passados em épocas distantes, onde a realidade vivida pelo povo daquele tempo era de uma humildade incomparável. Passavam por privações, preconceitos, necessidades, mas nunca deixavam se perder o verdadeiro significado da vida e nem o amor que tinham para com seus semelhantes.
"Aquela família crescia no amor, na partilha e na união. Eram um verdadeiro exemplo do que deveria ser um lar. A felicidade estava em cada canto aquela casa e daqueles seres. Independentemente das diferenças, amavam-se e acima de tudo respeitavam-se". 
O mais curioso é que os contos, mesmo sendo histórias distintas, tem a mesma essência. Algo que me incomodou é que em quase todos os relatos, a mulher fica viúva e passa por muito sofrimento para manter a casa de pé. Mas tudo isso é compensado pela força que cada uma conseguiu demonstrar.
"Acreditava que todos aquelas privações, colocadas no seu caminho, tinham como fim algo magnífico. Em Deus colocava o seu destino e sabia que Ele não a desapontaria". 
Não posso me delongar muito nos acontecimentos que circundam Adágios pois é uma obra relativamente pequena e qualquer minúcia que relatar, pode acabar sendo um spoiler (e sei que ninguém aqui quer isso hahaha). 

No geral, foi uma experiência boa. Ainda que eu não tenha gostado tanto da obra a ponto de super indicar, consegui tirar algumas lições que me acompanharão na vida. 

José Vieira teve a sensibilidade de demonstrar a languidez da humanidade daquela época e ao mesmo tempo exteriorizar a esperança que ainda se mantinha preservada nos corações. Posso dizer que conseguiu tocar o leitor com aquele martírio e crença. É uma obra que esquipa totalmente do que estava acostumada a ler.
"Sonhava! não se cansava de sonhar com um futuro melhor. Deitava-se com esta esperança no coração e acordava com ela ainda acesa. Era isso que a mantinha dura como uma rocha e forte como um carvalho para a vida". 
O trabalho da Chiado Editora é de um capricho único. Já tive contato com outras obras da editora e o design gráfico é de se tirar o chapéu. 

Mesmo sendo uma obra curta, a editora não mediu esforços na diagramação, e apostou todas as fichas na capa, que chama o leitor pelos olhos. 

A fonte usada nesta obra em específico, foi algo que me agradou bastante, que está um pouco maior que o de costume, além do espaçamento das margens e as entrelinhas. 

Como já disse, foi uma boa experiência, mas acredito que não seja uma obra que veio para agradar muitos leitores. A escrita de José Vieira também é algo que foge do comum, tendo ainda um "pé na formalidade", se é que me entendem. Este é um ponto que atrasou um pouquinho a minha leitura. 

Mesmo com a vertente que não se pode agradar a todos, acredito que tenha uma parcela de leitores que irão se maravilhar com Adágios. 

Fica aqui minha deixa com um dos trechos mais lindos que li em minha vida, e uma das lições mais deslumbrantes que poderia adquirir. A obra nos mostra que nos tempos remotos todos lutavam pelo amor. Que ao invés de abrir mão de uma vida devido alguns pontos de divergência, eles lutavam incessantemente para adequarem e se moldarem ao amor. Era a diretriz da vida - algo que sinto muita falta no mundo de hoje. O amor era a dádiva da vida e o melhor destino que poderia ter uma pessoa.
"O amor transformava-se. Era outro tipo de amor. Um amor maior. O amor que não deixa um ficar sem o outro. Um amor cúmplice, cuidadoso..."
Espero que quem se deparar com Adágios, que consiga extrair o que ele tem de melhor. Boas leituras!




Sobre o Autor: JOSÉ VIEIRA é o pseudônimo de Teresa Vieira Lobo. Jovem nascida na década de 80, numa pequena localidade chamada Gaula, terra de amoras, padres, doutores e adelos. Em 2014 estreou-se no mundo da escrita com o livro “Estranhas Coincidências”. Desde então tem mantido esta paixão escrevendo contos para a revista literária Subversa ou então para a plataforma Quem conta um conto. Em 2016, numa edição de autor, lançou em eBook o seu primeiro romance Dedicação, Palavra e Honra. Adágios é o seu terceiro livro.


Classificação:




17 comentários:

  1. Amanda parece ser aquele livro que nos abre, que rompe todas as nossas barreiras e com toda certeza eu adoraria me aventurar nesse enredo, sairia com os pensamentos na lua e querendo muito refletir, ótima resenha. e lindas fotos.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que resenha mais linda! Não sei se seria um livro que eu iria gostar muito, como você, é algo bem diferente do que costumo ler, mas não nego que aguçou minha curiosidade quanto a essas lições.

    Realmente adorei.
    Beijinhos.
    http://literaleitura2013.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Ola,
    Infelizmente como você citou acho que estou na parcela que não vá se agradar tanto assim com esse tipo de leitura, não me interessei muito pela obra, mas fico feliz que tenha agradado você.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem?
    Tão bom quando temos surpresas agradáveis saindo da zona de conforto!
    Não conhecia o livro e confesso que nem sei se leria, mas achei bem interessante!
    BJs

    ResponderExcluir
  5. Olá, eu nunca tinha ouvido falar sobre esse livro, mas eu não leria. A capa é linda mais não gosto de ler contos.

    ResponderExcluir
  6. Olá, eu nunca tinha ouvido falar sobre esse livro, mas eu não leria. A capa é linda mais não gosto de ler contos.

    ResponderExcluir
  7. Sou apaixonada por contos e toda leitura para mim é válida, então mesmo com esse enredo parecido entre eles eu adoraria ler. Gostei do pseudônimo, diferente para os dias de hoje. O livro é lindo de viver rsrs

    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Parece ser um livro com alguns significados magníficos, só por se tratar e ter personagens femininas fortes, me encantei. Adoro livros de contos e acho que esse pode ser uma boa, mesmo que algumas coisas não tenham te cativado tanto, fico feliz que foi pelo menos uma leitura que te trouxe algumas lições!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem? Uau, este livro parece ser realmente incrível! Primeiro, pelo título - que eu não sabia o que era, mas depois da sua definição adorei -, depois por ser de contos, haha. Certamente vou ler!

    ResponderExcluir
  10. Olá.
    Fiquei encantada com sua resenha, com a descrição do livro, a capa é bonita o título interessante, mas infelizmente saber que por conta da escrita do autor ser muito formal atrasa a leitura me faz dispensar a leitura e sei o quanto é chato dizer isso, mas ultimamente estou sendo perseguida por livros com escritas lentas kkkkkkkk.
    ótima resenha

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Não conhecia essa obra, mas parece ser bem densa e repleta de sentimentos.
    Sua resenha me deixou curiosa para conhecer a escrita do autor.
    Espero ler em algum momento.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  12. Não tinha visto este livro ainda, só não gostei de saber que a leitura fica um pouco arrastada por conta da escrita. Uma pena
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  13. Olá,
    Gostei bastante do livro realmente a capa é linda porém fiquei meio chateada pela a leitura lenta por causa da leitura. Mais pela a capa compraria.
    bjs

    ResponderExcluir
  14. Olá!

    Curti a capa, mas a premissa não me chamou tanto a atenção, pena que os livros da Chiado não sejam encontrados com facilidade no Brasil...

    ResponderExcluir
  15. Achei essa cara uma maravilha, realmente me encantou. Gostei bastante do tema centra e dos títulos, mas não seria um livro que leria no momento, até mesmo pela leitura arrastada que tem, mesmo assim, já anotei a dica por aqui.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  16. Oiii!

    Eu não conhecia esse livro e que capa maravilhosa, né???
    Adorei! Mas o enredo mesmo, não curti muito não. Gostei da sua analise e sinceridade ao retratar a obra. Mas passo a leitura

    Beijnhos,

    ResponderExcluir
  17. Olá,

    Gostei muito da sua resenha e consegui ter um vislumbre excelente da história. O livro parece ser uma leitura que vale a pena e com certeza já está na minha lista. Excelente post!

    ResponderExcluir