quarta-feira, 23 de agosto de 2017

[Filme] A Vida é Bela

Título: A Vida é Bela (La Vita è Bella)
Lançamento: 1997
Duração: 1h54min
Direção: Roberto Benigni
Gênero: Drama
Sinopse: Na Itália dos anos 40, Guido (Roberto Benigni) levado para um campo de concentração nazista e tem que usar sua imaginação para fazer seu pequeno filho acreditar que estão participando de uma grande brincadeira, com o intuito de protegê-lo do terror e da violência que os cercam.

Eai galera! Obrigado pelo carinho nos comentários do post anterior! Estou gostando muito de ver que estão lendo minhas resenhas, por isso busco sempre melhorar!

Para esta resenha escolhi um filme italiano capaz de alegrar e emocionar os mais rígidos espectadores. A Vida é Bela (La Vita è Bella) de Roberto Benigni é um filme essencial para quem quer ver a Segunda Guerra Mundial por outros olhos, saindo das explosões e tiroteios e adentrando na essência do que foi o movimento Nazista – visto as manifestações neonazis em Charlotesville (USA), acredito ser um ponto importante para se abordar.

O filme conta a história de Guido (Benigni), um judeu, e sua paixão por Dora (Nicoletta Braschi), mas não se atém apenas nesse aspecto. Por meio das situações na qual os personagens vivenciam é possível ver a sociedade italiana na década de 30 e, aos poucos, a ascensão do nazismo pelo território.

Guido, sempre muito humorado garante ao filme um alívio cômico essencial para que as questões mais sérias sejam encaradas com uma maior atenção, visto que a característica de ser uma comédia dramática não deixa a obra ficar densa e pesada.


Certo ocorrido vale ser citado, porque aborda a essência do movimento nazista. Guido é garçom em um hotel e, um dia, conhece um funcionário do governo alemão que passa nas escolas perpetuando a ideologia da eugenia – a supremacia da raça europeia branca, nesse caso, a raça ariana, entendida pelos alemães como sendo a raça pura – com o objetivo de trazer mais adeptos ao movimento. Guido se passa pelo funcionário na escola na qual Dora trabalha para ficar mais perto dela e arranca risadas das crianças ao brincar com a teoria da eugenia.

Tempos se passam e, como era de se esperar, Guido se casa com Dora e os dois tem um filho, Josué (Giosuè em italiano). Tudo corre bem para o casal, até que o movimento nazista passa a capturar os judeus e leva-los para os campos de concentração.

Guido e Josué são capturados e separados de Dora. Aqui o segundo e mais dramático momento do filme se inicia. Vemos o protagonista trabalhando de forma pesada para os alemães e cuidando do seu filho simultaneamente.

Como as crianças eram mortas primeiro, Guido esconde Josué em um quarto e finge que ele e o filho estão participando de um concurso que o primeiro que fizer 1000 pontos é o ganhador e, como prêmio, receberá um tanque de guerra. Essa atitude é de emocionar, vemos um pai fazendo de tudo para preservar a inocência do filho e não o deixar passar pelas atrocidades da ciência alemã.

O final do filme é espetacular e de tirar lágrimas. Não o abordarei aqui para que não tire a surpresa e a emoção!


A estrutura do filme é complexa. O crescimento do nazismo é visível através da história de Guido. Essa característica é chamada de Micro-História, conceito formulado pelo historiador italiano Carlo Ginzburg, que consiste em, a partir da observação dos pequenos acontecimentos (a vida de um personagem, por exemplo), entender a conjuntura na qual aquele período histórico se encontra.

Em síntese, A Vida é Bela é um filme essencial para quem gosta da temática Segunda Guerra Mundial e obrigatório para os amantes de cinema. Com trilha sonora ótima e planos de câmera que garantem a ênfase devida às paisagens da Itália, a obra irá marcar profundamente todos que a assistirem!


Nota para o filme: 5/5

15 comentários:

  1. Olá
    Nunca tive a oportunidade de assistir o filme mas ja li bons comentários a respeito. Não imaginava que tal estrutura fosse tão complexa como você mesmo comentou e é exatamente por isso que fiquei mais curiosa. Gosto muito de tramas envolvendo a segunda guerra mundial por isso ainda pretendo conferir sim. Adorei poder conferir sua recomendação!
    Beijos F

    ResponderExcluir
  2. Oi tudo bem?
    Já assisti esse filme e como você disse ele é bem emocionante não gosto de filmes que envolvem segunda guerra mundial mas esse foi uma bela exceção afinal não tem como não chorar com o final.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Gente para tudo! Chorei horrores nesse filme, achei simplesmente maravilhoso a forma como o pai cuidou do filho.
    Beijinhos, Ana
    http://thamirisdondossola.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi, Vinícius!
    Eu já assisti A vida é bela, inclusive, ele ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro, estava concorrendo com Central do Brasil, filme brasileiro. rsrs
    Eu chorei horrores no filme, é muito emocionante e triste, um pai tentando fazer o filho sobreviver aos horrores do campo de concentração, ao mesmo tempo em que ele não permite que a inocência seja tirada de seu filho. Muito, muito lindo! Ótima dica de leitura!
    Bjos!
    Por essas páginas

    ResponderExcluir
  5. Sei que este filme é completamente famoso e chegou ao Oscar mas eu ainda não assisti. Até porque eu fui deixando passar, mas sei que muitos o indicam, achoque não vi por ser estrangeiro no momento e depois acabei esquecendo.

    ResponderExcluir
  6. Oi Vinicius, ainda não tive a oportunidade de assistir a esse filme mas amei sua critica. Só de imaginar qq coisa em um campo de concentração já é de aprtar o coração, imagine um pai e seu filho. Espero assistir em breve. Bjs, Tell me a Book

    ResponderExcluir
  7. Olá Vinicius,
    Esse filme certamente é um dos melhores filmes do mundo. Inclusive ganhou, se não me engano, todas as categorias em que disputou no Oscar de 99, inclusive melhor filme estrangeiro, melhor ator e melhor trilha sonora. Fantástico.

    Infelizmente não irei revê-lo após sua crítica, pois esse assunto dos campos de concentração me deixam tristes e deprimidos e estou em uma fase muito positiva.

    Parabéns pelo texto e crítica. Continue assim.

    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  8. Oláa, tudo bem? Amei seu post! Histórias sobre a segunda guerra sempre me emocionam, e só de ler sua review do filme fiquei com um aperto no peito. Se eu já queria assistir, agora fiquei ainda mais ansiosa para conferir. Tenho certeza que será uma experiência única.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem?
    Ah eu amo esse filme, acho que foi o primeiro que me emocionou de verdade, sempre indico esse filme a todos.
    Amei ler o seu post ♥
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  10. Olá...
    Adorei conferir o post!
    Já recebi milhares de indicações desse livro, mas, infelizmente ainda não tive oportunidade de ver :(
    Adoro tudo que envolva a Segunda Guerra Mundial e, é claro, vou providenciar assistir esses filme nos próximos dias.
    Dica anotada!
    Bjo

    ResponderExcluir
  11. Esse filme... * SUSPIROS *
    Como amor, pelo visto você também se identificou com essa perfeição, não é?
    Acho que ele é simplesmente maravilhoso no realismo. Como não amar.
    Adorei seu review.
    www.manuscritoliterario.com.br

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Que bom que você gostou do filme, eu assisti esse filme há, mais ou menos, um ano e me emocionei muito com a história. É aquele tipo de filme que nos toca de alguma forma, seja pela perversidade, seja pela inocência.
    Parabéns pela resenha! Ficou ótima e expressou bem a atmosfera da trama.
    Abs ^^

    ResponderExcluir
  13. Oi, tudo bem?
    Eu gosto bastante de histórias sobre a segunda guerra mundial e essa filme é simplesmente incrível, mas eu não consegui até hoje ver de novo, porque é muito dolorido, embora seja maravilhoso ao mesmo tempo. No entanto, lendo seu post deu vontade de ver novamente e me emocionar tudo de novo.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  14. Eu não gosto muito dessa temática porque é muito sofrida e eu acabo ficando realmente mal com tudo que vejo.
    Mas um dia estava passando os canais e vi um pedacinho desse filme com o garoto se escondendo. realmente é um filme de cortar o coração

    ResponderExcluir
  15. Oi Vinicius,
    já faz um tempo que não tenho estômago para essa temática, me sinto péssima quando leio ou assisto algo que retrate as atrocidades vividas durante a segunda guerra, exemplo disso é que ler seu texto e rolar pelas imagens desse filme que já me fez chorar tanto me causou um aperto no peito que tenho certeza não me abandonará por algumas horas. Então eu digo que o filme é incrível, uma obra capaz de envolver e emocionar facilmente, e embora eu não pretenda assisti-lo novamente indico para quem curte a temática, principalmente pela forma que ele representa a jornada do povo oprimido.

    Abraços!
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir