[Resenha] Mil palavras, Jennifer Brown


Título: Mil palavras
Autora: Jennifer Brown
Editora: Autêntica | Selo: Gutenberg (cortesia)
Páginas: 208
Onde comprar: Amazon

“Tirar aquela foto foi um erro, mas, de alguma forma, aquele erro estava se transformando em mim.”

Ashleigh é a típica garota perfeita; vai bem na escola, dá orgulho para seus pais, faz parte de um grupo de jovens populares e tem um namorado mais velho que a ama, mas seu relacionamento – já conturbado pela distância do namorado – parece ter um fim marcado com a mudança dele para outra cidade, onde fará faculdade.

Kaleb é mais velho e abusa da sua idade ficando distante de Ash, quando tem coisas mais interessantes para fazer. Ela, como uma boa namorada que é, aceita tudo de bom grado, mas duas de suas amigas – Vonnie e Rachel – durante uma festa, acabam dizendo que, se ela mandasse um nude para ele, poderia fazê-lo se interessar mais.

“Agora que pensei nisso, talvez se tivesse tirado a roupa de vez em quando não estivesse ficando para trás toda hora por causa dos amigos dele. Talvez seria Kaleb que ficaria preocupado com o que estava perdendo.”

De início, Ash não acha certo, mas, já um pouco bêbada e num ímpeto de coragem, ela tira a foto e envia para o namorado. O que ela não esperava era que essa foto mudaria sua vida completamente.

Mil palavras aborda pornografia de vingança (em inglês, revenge porn), uma expressão que remete ao ato de expor publicamente, na Internet, fotos ou vídeos íntimos de terceiros, sem o consentimento dos mesmos, mesmo que estes tenham se deixado filmar ou fotografar no âmbito privado. Isto geralmente ocorre após o fim de um relacionamento amoroso, quando um dos envolvidos divulga cenas íntimas do outro, como forma de "vingar-se" antigo parceiro. (Fonte: Wikipedia)

Sim, pessoal, o Kaleb vai divulgar a foto de Ash e isso vai tomar uma proporção inimaginável. Seus amigos se afastarão dela, sua família irá julgá-la e, pior, ela será condenada.


Infelizmente, minha ansiedade para ler esse livro fez com que eu tomasse um banho de água fria. O primeiro problema que notei nesse livro foi a forma como Ash foi convencida a tirar a foto, senti que aquilo funcionou como uma espécie de desafio. O segundo foi a forma como Kaleb recebeu aquilo e, de imediato, mostrou para um amigo, apesar de ter falado que só “comentou”. O terceiro foi a forma como a Ash foi, em todo o momento, taxada como culpada. Por fim, o quarto problema foi que a foto de Ash gerou para os outros (seus amigos e familiares) e como eles deixaram de se importar com o que ela estava sentindo.

Ash é como nós. Quem nunca pensou em mandar uma foto assim – ou até mandou – para o namorado(a)? Já Kaleb é um namorado problema que notamos assim que a história começa a ser contada. Ele não é presente e tampouco parece gostar da Ash. Senti que apenas a usava. As duas principais “amigas” de Ash foram um problema para mim, não gostei delas. No entanto, meu maior problema foi com relação aos pais de Ash. Como eles foram péssimos. Enquanto ela era a filha exemplo, eles tinham orgulho dela, faziam o que ela queria e apoiavam-na, mas foi a foto ter sido divulgar e esse acontecimento respingar em suas vidas que ela se transformou na pior filha do mundo.

O desenrolar do livro é angustiante, pois começamos sabendo que Ash está prestando serviço comunitário, mas não entendemos como ela chegou ali. As coisas nos são reveladas aos poucos e isso dá ainda mais agonia e revolta.

Sei que a autora escolheu por mostrar a realidade do que acontece com jovens que tiram e mandam nudes, mas o bom de se LER é que coisas que não achamos possíveis possam acontecer. Por conta disso, não entendo porque a Jennifer optou por trabalhar a realidade demonstrando que a culpa era da Ash quando ela, na verdade, é a vítima.

Apesar de não ter gostado desse livro, já li muitas resenhas positivas sobre ele e tento entender as pessoas que gostam e que conseguem tirar algo de bom dele, mas isso não aconteceu comigo, em momento algum. Só queria deixar frisado que não vou falar que não indico o livro, pois cada um pode compreendê-lo de uma forma, mas a vítima NUNCA é culpada.


12 comentários

  1. Oi, Bruna. Eu li esse livro recentemente e gostei muito dele, ao contrário de você eu vi o livro como um aleta aos jovens, as vinganças pornográficas são cada vez mais frequentes e o resultado delas é desastroso na vida das vítimas. Assim, embora eu não tenha concordado com a Ash ser obrigada a prestar serviço comunitário quando é a vítima o que eu entendi foi que lá nos Estados Unidos enviar nude é considerado distribuição de pornografia infantil e mesmo você sendo a maior vítima acaba tendo que responder na justiça por isso. Não concordo, para mim quem tinha que responder por isso é quem vaza a foto. Mas são as leis de lá e entendi isso, mesmo sendo contra. Durante a leitura eu não achei em momento algum que a Ash fosse a culpada, pelo contrário, ela foi traída ao ter sua foto exposta e fiquei com muita raiva do Kaleb.
    Eu gostei de ver a sua sinceridade ao falar sobre o livro e mostrar quais foram as suas impressões sobre ele. Acho muito bacana o fato de que cada um tem uma visão diferente para o mesmo livro.

    ResponderExcluir
  2. Olá, eu já li várias resenhas desse livro, mas nunca cheguei a ler ele, infelizmente o que acontece na vida da protagonista acontece com muita gente hoje em dia e sempre culpam a pessoa que mandou a foto ( para seu companheiro) o que é muito triste.
    O assunto que trata o livro e bastante " complicado " por se tratar de pornografia de vingança, mas achei bem interessante e também não gostei de saber que a protagonista foi condenada sendo que era a vítima da história, mas tirando isso, achei o livro interessante.

    ResponderExcluir
  3. Gosto muito da autora e de sua escrita.
    Tenho esse livro aqui, ainda não li, mas pretendo fazer em breve.
    Li bons comentários e outros nem tanto.. Mas não desanimei com a leitura.

    Adorei a sinceridade da sua resenha e a forma como descreveu as suas impressões.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Olá
    Confesso que depois de ver a resenha do Vitor do Geek Freak sobre esse livro, a vontade que eu tinha de ler ele foi para o espaço. Ando em uma fase que não aguento mais ler mais do mesmo, claro que o que acontece com a personagem é algo que acontece com muitas mulheres, mas acho que não tenho paciência para ler ele no momento. Gostei da sua sinceridade em expressar o que realmente achou do livro.
    Adorei a resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. A primeira resenha que eu li desse livro foi no blog da Beatriz (que comentou ali em cima) e fiquei com raiva com o enredo. Fiquei com raivas das amizades dela e com o comportamento do até então namorado. Mas ao mesmo tempo que senti esse incômodo (o que considero) bom, achei importante essa discussão sobre crime virtual.
    Mas assim como vc, acredito que não gostaria e que terminaria com vontade de jogar o livro na parede, por isso vou deixar passar e tentar ler futuramente.

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  6. Olá, os pais da personagem desse livro parecem seguir o mesmo padrão do pai de outro livro da autora, A lista negra. A temática de Mil Palavras é bem pertinente e infelizmente bem real; e como você bem disse , cada leitor pode tirar uma interpretação da história. Sua resenha ficou ótima, explicitou bem a sua interpretação.

    ResponderExcluir
  7. Olá,
    Nossa essa foi uma resenha diferente, eu não tinha ideia dessa coisa de culpar a vitima neste livro. Nenhuma outra resenha falava então eu realmente não sabia que tinha, e com toda certeza isso é errado.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  8. Oiii Bruna

    Eu queria ler esse livro (e ainda quero) por causa do tema, é bem atual e duro de se pensar, porque é uma coisa que vem de repente e imagino que a protagonista o fez confiando que algo assim não aconteceria, mas of ato de ela ter tomado a coisa como desafio...ummm sei não como vou enxergar esse modo retratado da autora e culpar a vitima me parece bem arriscado e até inconsequente. Não sei, vamos ver qual vai ser a impressão que me dá.
    Vou tentar ler esse livro ainda esse mês, espero que consiga, será minha primeira experiência lendo essa autora.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  9. Putzzzz
    que pena que a autora acabou enredando por outro caminho... MAS sim, apesar dela ter mandado por ele ter feito isso ela foi vitima, que chato!
    nao sei .. .Alias, é um tema super atual e AMEI a capa do livro, sabe?Nunca li nada da autora... Mas interessante ter esse ponto de vista sobre a história
    Beijocas da Pâm
    Blog Interrupted Dreamer

    ResponderExcluir
  10. Oi Bruna, se lendo a sua resenha já fiquei revoltada com os pais, amigas e o idiota do namorado de Ash se eu ler o livro vomitarei, pois o que presumo que toda a situação e as pessoas que deveriam estar do lado dela fizeram é realmente de embrulhar o meu estômago.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  11. Oi, Bruna! Também já li resenhas sobre esse livro que foram positivas, mas não sei se leria, parece um assunto tratado de forma bastante pesada e, embora isso aconteça realmente, parece exagerar na forma brutal de como a verdadeira vítima é tratada.
    bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir