[Resenha] A Marcha, John Lewis; Andrew Aydin e Nate Powell - A Marcha #1

Titulo: A Marcha
Autores: John Lewis; Andrew Aydin e Nate Powell
Série: A Marcha #1
Editora: Autêntica | Selo: Gutenberg (cortesia)
Páginas: 128
Onde comprar: Amazon

"- A Marcha retrata a longa batalha de Lewis pelos direitos humanos e civis, seu encontro com Martin Luther King Jr. e a luta para dar fim às políticas de segregação no país."

Olá leitores. Sei que ando um pouco sumida e ainda continuarei assim por um bom tempo por motivos de: ultimo período de faculdade!

Arrumei um tempinho aqui na correria para falar com vocês sobre esta obra que chegou há algum tempinho. Confesso que passou bem longe do que sou acostumada a ler, sai totalmente da minha zona de conforto, mas foi uma leitura que valeu a pena.

Lançado pela Editora Nemo, A Marcha é o primeiro volume de uma graphic novel onde retrata o movimento de direitos civis nos Estados Unidos, sob a perspectiva de Lewis e a influência exercida sobre ele por Martin Luther King. 

É uma obra sensível que nos mostra pela visão dos oprimidos da época pelo gênero ou cor de pele. 

"A Marcha é uma das graphic novels mais importantes já criadas, uma apresentação extraordinária de uma vida extraordinária, e a prova de que os jovens podem mudar o mundo. [...]" - Raina Telgemeier
Os protagonistas, os desenhos, a intensidade das situações que foram passadas faz o leitor sentir na pele o preconceito, racismo, julgamentos, discriminação. Não deixa de ser uma leitura que abala o emocional. 


" A segregação nas lojas do centro era o que mais nos incomodava. Podíamos fazer compras, pagar o mesmo preço dos clientes brancos, mas não podíamos usar o provador nem sentar no balcão de lanches. Era humilhante."

É uma obra que nos leva a refletir sobre grandes ações e sobre as opressões, retratando a peleja de Lewis pelos direitos humanos e civis a tão árdua batalha para o fim das políticas de segregação. 

A Marcha foi meu primeiro contato com a Editora Nemo e pude sentir o objetivo e capricho da mesma para com as obras e leitores. Por ser uma obra que me tirou da zona de conforto, não me agradou 100%, mas com toda convicção é uma obra sensacional, que merece ser indicada e, sem dúvida alguma parabenizada!

"Um poderoso conto de coragem e de princípios que provocou/provocaram mudanças sociais radicais, contadas por uma testemunha ocular de personalidade forte e excepcionalmente qualificada [...] o heroísmo daqueles que se sentaram e marcharam [...] vem com uma clareza intensa e inspiradora." - Kirkus Reviews

Sobre os Autores: 

O parlamentar John Lewis foi um dos líderes do Movimento Americano pelos Direitos Civis. Foi presidente do Student Nonviolent Coordinating Committee (Comitê Coordenador Estudantil Não Violento - SNCC) e desempenhou um papel-chave na luta pelo fim da segregação. Mesmo com mais de quarenta prisões, ataques e ferimentos graves, continuou a advogar pela filosofia da não violência.

Andrew Aydin é natural de Atlanta, Estados Unidos, e trabalha como diretor digital e assessor político no escritório do parlamentar John Lewis, em Washington. Depois de descobrir que seu chefe fora inspirado, quando jovem, pelo álbum em quadrinhos Martin Luther King & The montgomery story, de 1950, Aydin concebeu a trilogia A Marcha e colaborou com Lewis para escrevê-la. Hoje, ele continua a escrever quadrinhos e a ensinar sobre a história da nona arte no movimento pelos direitos civis.

Nate Powell é quadrinista best-seller do The New York Times. Nasceu no Arkansas, Estados Unidos, em 1978. Começou sua carreira aos 14 anos com publicações independentes e formou-se na Escola de Artes Visuais em 2000. Seus trabalhos incluem March, You Don’t Say, The Year of the Beasts, The Lost Hero de Rick Riordan, entre outros. Powell é o primeiro cartunista a vencer o National Book Award.

Classificação:

10 comentários

  1. Gostei tanto do tanto do título, e fiquei super animada pois gosto muito do Martin Luther King Jr mas ai vi que era em HQ e bateu um desanimozinho já que eu nunca consigo ler HQ haha
    Mas creio que só pela história eu daria uma chance.

    beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
  2. Oi Bruna!Gosto muito de graphic novels, e ver que as editoras estão apostando neste tipo de trabalho é muito bacana. Quanto a obra, é prazeroso encontrar uma narrativa de qualidade e concordância sobre este tema ainda tão necessário de discussão, como a segregação racial. Realmente, se formos parar para analisar o período de abolição e que um século depois, foi preciso um movimento tão grande como esse que houve lá pra acabar com o preconceito ainda praticado de maneira explícita, é absurdo. E como ainda existe racismo? Como alguém pode pensar que a cor da pele te faz superior ou inferior a outra pessoa? Não dá pra conceber. Gostaria muito de ler essa obra, que além de ser linda, deveria ser lida por todos! A visão dele, de dentro da luta, de dentro do caos, deve ser impressionante! Obrigada pela resenha! ♥


    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Amanda.

    Eu tenho poucos graphic novel aqui em casa, mas os que eu li foram ótimos. Eu estou com este livro na lista de desejados e pela sua resenha, meu interesse aumentou bastante. Vou tentar adquiri-lo o mais rápido possível. Obrigada pela dica e parabéns pela resenha.

    Bjos
    http://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oie!

    Não conhecia essa graphic novel, mas provavelmente pq não tenho costume de ler. Sua resenha me chamou bastante atenção a ponde de me dar vontade de ler essa! A história parece ser bem impactante e fiquei curiosa!

    Beijos
    Carol
    www.thereviewbooks.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Amanda, eu já li algumas resenhas desse livro e a cada uma que leio meu desejo de ler o livro aumenta. Ele trata de temas de suma importância e tão presente nos dias de hoje, embora estejam muitos camuflados em algumas sociedades e culturas.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  6. Olá, Não conhecia a obra nem o escritor, infelizmente não é o tipo de livro que eu gosto de ler então eu passo a dica de hoje.

    ResponderExcluir
  7. Acho que essa foi a terceira opinião positiva que li sobre esse livro e acabei ficando curiosa.
    Não tenho o hábito de ler nesse formato, mas amei a dica.
    A temática é muito importante, não podemos regredir!!!
    Parabéns pela leitura e valeu pela dica.

    ResponderExcluir
  8. Oiee Amanda ^^
    Arrasa no último período ♥
    Eu ainda não conhecia esse livro, e também não é bem o que eu costumo e gosto de ler, mas parece ser muito interessante, e eu conheço pessoas que acredito que adorariam essa premissa de situações intensas que vivemos ainda hoje.
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  9. Ei. Não tenho costume de ler esse tipo de livro, mas esse parece ser bem interessante, anotei para quem sabe mais para frente ler? Obrigada pela dica.

    Beijos,
    Letícia do Garota Perdida nos Livros.

    ResponderExcluir
  10. Oi Amanda.
    Muito bacana você falar sobre essa HQ por aqui! Eu tenho muito interesse nesse assunto e sempre tive mais contato com esse período histórico pelo Martin Luther King. Acho que ler essa adaptação pode ser um bom jeito de ver o movimento por outros olhos.
    Abraços.

    ResponderExcluir