sábado, 6 de janeiro de 2018

[Resenha] Tartarugas até lá embaixo, John Green

Título: Tartarugas até lá embaixo
Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Páginas: 256
Onde Comprar: Saraiva

“Qualquer um pode olhar para você, mas é muito raro encontrar quem veja o mesmo mundo que o seu.”

Após 6 anos de muita espera, somos surpreendidos com mais um lançamento do mestre Green, que deliciou todos os fãs com Tartarugas até lá embaixo.

Aza Holmes, uma garota com TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), embarca numa aventura com sua melhor amiga Daisy a procura de um bilionário que desapareceu misteriosamente.

A recompensa para quem soubesse do paradeiro seria de cem mil dólares. Imaginem o que essas duas poderiam fazer com tanto dinheiro?! Será que a vida de ambas se tornaria um conto de fadas e viveriam felizes para sempre?

De fato não!

Por mais que pareça que a história vai ser envolta de aventuras de duas adolescentes e se estender assim até o final da história, isto não ocorre. Há uma densidade nas entrelinhas que o Autor conseguiu trazer à realidade e nos fazer refletir como que transtornos, de certo modo, silenciosos, afetam a vida de tantas pessoas.

Aza sofre com ansiedade e pensamentos indesejados e a válvula de escape que ela encontra para provar a si mesma que é uma pessoa real, e não um emaranhado de microrganismos e bactérias é abrir constantemente a ferida de um calo no dedo da mão.

E tudo isso vira um ciclo vicioso, pois, a cada vez que Aza volta a abrir sua ferida quase cicatrizada, surge os pensamentos incontroláveis das milhares bactérias que podem estar infeccionando o machucado recém provocado. Ela precisa sempre trocar o band-aid, passar gel antisséptico, e quando está finamente cicatrizando, as bactérias que mandam em seu pensamento a faz voltar a abrir a ferida só para se certificar de que não está infeccionada e precaver que não morreria.
"- Você dá poder demais aos seus pensamentos Aza. São apenas pensamentos. Eles não são você. Você pertence a si mesma, mesmo quando seus pensamentos não pertencem."
Mas, não é só Aza quem sofre com toda esta história de TOC e ansiedade. Daisy se esforça ao máximo para conseguir lidar com os problemas da amiga que acredita ser a única pessoa que tem problemas no mundo e acaba sendo paranoica e se colocando como o centro das atenções sempre!

O refúgio de Daisy é escrever fanfics de Star Wars e Star Trek e colecionar seguidores no mundo da internet. Tanto é que colocou todos os problemas de Aza em uma personagem para conseguir lidar com ela.

 Em Tartarugas até lá embaixo, Green envolve todos os acontecimento em metáforas, explicando o pânico que é viver com TOC. É impossível descrever como é sentir-se preso na própria imaginação, numa espiral infinita de pensamentos indesejados que te domina.

Cada recaída de Aza é sentida na pele pelo leitor e foi o ponto chave para prender a atenção durante toda obra. Ter um problema tão real no enredo me encantou completamente, e com isso Aza se tornou uma personagem real. Uma heroína que venceu os próprios medos e superou seus maiores obstáculos.
"A maior parte dos adultos é simplesmente vazia. Vemos adultos tentando preencher o vazio com bebida, dinheiro, Deus, fama ou com o que quer que idolatrem, e tudo isso faz com que apodreçam por dentro, até não sobrar nada além do dinheiro, da bebida ou do Deus que eles acharam que era a salvação. Meu pai é assim... Ele na verdade já desapareceu faz tempo, e talvez seja por isso que não fiquei tão chateado quando sumiu agora.". 
Se você é fã do mestre Green, assim como eu, Tartarugas até lá embaixo é uma obra fundamental em sua vida! E você que não é fã ou não teve a oportunidade de conhecer as fantásticas obras, Tartarugas até lá embaixo será uma obra fundamental em sua vida!

O trabalho da Editora Intrínseca continua sem igual. A diagramação é um dos pontos fortes da obra que ganha o leitor pelos olhos!

A leitura de Tartarugas até lá embaixo deu um sentido especial ao meu 2017! Obrigada Green! Obrigada Intrínseca!


Classificação:

12 comentários:

  1. Acredito que tenha sido um ano muito especial para John! Mesmo este livro tendo dividido opiniões, acho que a parte positiva foi bem maior que a negativa.
    Tratar essa doença, trazer mais uma história comovente e repleta de indagações e superações, colocou o autor mais uma vez entre os mais lidos e falados!
    Espero ter a oportunidade de ler a obra em breve e me emocionar também!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Olá Amanda!
    Fiquei super feliz com o lançamento desse livro. Gosto muito do John e acho que suas histórias sempre são muito bem escritas.
    Achei super interessante ele colocar a visão de uma pessoa que sofre de TOC. Muitas vezes falamos sobre o assunto, mas não sabemos realmente a profundidade que ele tem.
    Adorei sua resenha, beijos!

    Books & Impressions

    ResponderExcluir
  3. Olá! Confesso que depois de algumas experiências não muito boas com o John, fiquei meio que com um pé atrás para ler os livros dele, tanto que nem me empolguei pra ler esse. Por enquanto tô deixando ele em espera, e quando tiver numa vibe para os livros dele, quem sabe eu dê uma chance ^^

    Um beijo, Por Amor aos Livros

    ResponderExcluir
  4. Eu tenho muita vontade de ler esse livro flor, até hoje várias amigas leram e amaram! Então sei que o João Verde vai me fazer me encantar e me motivar a ler mais e mais, além da edição estar linda.
    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Gosto muito dos livros do John, esse está no topo dos meus desejados. Estou ansiosa para ter a oportunidade de lê-lo.
    Adorei sua resenha e saber que você gostou. As fotos ficaram lindas <3
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Tomara que eu sobreviva a essas metáforas, não sou muito boa com isso não... Rs... Comprei sem nem ler a sinopse, só por ser do John Green, e nem sabia que tinha essa questão do TOC no enredo, é um tema que gosto muito de ver trabalhado. Espero conseguir ler logo e gostar tanto quanto você!

    ResponderExcluir
  7. olha, eu li outros livros do autor, mas nao deu, realmente a escrita dele não é pra mim... falam que Tartarugas é o que ele melhor escreveu até o momento, mas nao sinto empolgação pra encarar outro livro dele... mesmo que aborde um tema que me desperte interesse...
    bjs...

    ResponderExcluir
  8. Olá!! :)

    Eu confesso que quero ler o livro desde que ele foi lançado, mas ainda não tive oportunidade de o fazer!

    Ainda bem que gostaste de fazer a leitura, e que continuas fa do autor! Realmente, quero saber o que e sentir essas recaídas da personagem...

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Amanda!
    Antes desse, já tinha lido todos os livros do Green e obviamente tenho os meus preferidos e outros que achei mais fracos. Mas com esse lançamento e com só críticas positivas, eu estou bem ansiosa em ler ele e isso pode ser um problema, rsrs. Comprei ele no Natal, agora é ver quando conseguirei ler.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Ahhh que bom ver uma resenha tão positiva sobre esse livro! Amo muito a escrita do John e estava com saudade dela. Sei que tem um toque pessoal dele nesse livro e estava torcendo para que todos abraçassem e amassem esse lancamento.
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Só tenho lido resenha ótimas sobre esse livro e que saudade de ler algo do Green, ganhei esse livro de amigo secreto e não vejo a hora de poder conferir essa história que parecer ser emocionante. Próxima leitura!

    beijos!
    https://blogdatahis.blogspot.com.br/2018

    ResponderExcluir
  12. Na ao sou fã de John Green mas li e gostei muito deste livro. Tanto que escrevi sua resenha e diz um sorteio no meu insta com ele. Gostei de sua escrita e opinião.

    ResponderExcluir