domingo, 14 de janeiro de 2018

[Resenha] Origem, Dan Brown - Robert Langdon #5

Título: Origem
Série: Robert Langdon #5
Autor: Dan Brown
Editora: Arqueiro
Páginas: 432
Onde comprar: Amazon | Saraiva

"Bom, ciência e religião não competem, são duas linguagens diferentes tentando contar a mesma história. Neste mundo há espaço para as duas. "

Origem, quinto livro protagonizado por Robert Langdon, é uma obra que nos apresenta duas perguntas que sempre ouvimos “De onde viemos? Para onde vamos?”. Nesse volume ele está chegando ao ultramoderno Museu Guggenheim de Bilbao para assistir uma apresentação de um futurólogo bilionário, Edmond Kirsch.

Edmond é mundialmente conhecido por suas previsões audaciosas e grandes invenções. Além disso, Edmond foi um dos melhores alunos de Langdon em Harvard e eles confiam demais um no outro. Essa confiança é tanta que Edmond encontra Langdon antes da apresentação e utiliza de falas do professor no momento de sua grande apresentação. Entretanto, quando está prestes a revelar sua grande descoberta, Edmond é assassinado e, como em todos os livros do Dan, Langdon e Ambra Vidal, noiva do príncipe da Espanha, partem em uma fuga desesperada numa jornada marcada por diversas obras de arte moderna e símbolos enigmáticos.


Depois que concluí a leitura de Inferno, do mesmo autor, estava muito ansiosa para fazer a leitura de um novo livro, pois o Robert é meu crush eterno. As expectativas com a qual abri o livro foram enormes e, felizmente, todas foram superadas. Entretanto, tenho que adiantar que esse não é o melhor livro do autor. 
“O amor não é uma emoção finita. Não temos só uma certa quantidade para dar. Nosso coração cria amor à medida que precisamos dele.”

O primeiro fator que pode não agradar muito – e ser o motivo de todas as críticas que tem recebido – é que o livro segue a mesma fórmula padrão dos livros do autor. Ele não muda, se encontrou, está em sua zona de conforto e não sai dela, apesar de ter grande potencial. Só que, apesar de tudo isso, é fascinante acompanhar a trajetória de Langdon, pois o cara é inteligente, apaixonante e é encantador conhecer todas as obras de arte que o autor apresenta e, aqui, está o primeiro motivo por ele ter sido lento: as obras de arte nessa trama são modernas então precisamos pesquisar para conhecer, afinal, quando falamos de Mona Lisa, já associamos imediatamente o quadro de Da Vinci, mas nesse livro não fazemos essa associação de forma rápida, pelo menos, não quem desconhece obras de arte.


Entretanto, apesar de “perder tempo” pesquisando sobre as obras de arte citadas, não me incomodaram, ao contrário, agradaram ao extremo. Langdon, apesar de com mais idade, continua sagaz e característico – ele ainda tem o relógio do Mickey! Já Ambra foi uma grata surpresa conhece-la, como todos os outros livros do autor, ela faz um papel de coadjuvante e faz isso bem. Torna-se importante nos momentos corretos, depois, sai de cena e deixa para quem importa: Langdon e o segredo. Edmond é outro personagem que muito me agradou, eu o achei astuto e perspicaz, mas previsível, como a história foi. 
“– Deuses incontáveis preencheram lacunas incontáveis – disse Langdon. – No entanto, no decorrer dos séculos, o conhecimento científico aumentou. – Uma colagem de símbolos matemáticos e técnicos inundou o céu. – À medida que as lacunas na nossa compreensão do mundo natural foram desaparecendo, nosso panteão de deuses começou a encolher.
No teto, a imagem de Poseidon veio para a frente.
– Por exemplo, quando aprendemos que as marés eram causadas pelos ciclos lunares, Poseidon deixou de ser necessário e nós o banimos como um mito bobo de um tempo sem esclarecimentos.
A imagem de Poseidon se evaporou num sopro de fumaça.
– Como vocês sabem, todos os deuses sofreram o mesmo destino, morrendo um por um enquanto perdiam a relevância para nossos intelectos em evolução.”

Existem outros personagens secundários que são bem construídos e importantes, mas, sem dúvidas, o ponto alto da trama fica por conta de Winston, um personagem que surpreenderá a todos e nos fará refletir sobre a vida. Conforme a trama se desenrola, ficamos curiosos para saber o que o Edmond queria revelar e onde a trama nos levará. Apesar de ter ficado extremamente curiosa para saber o que ia acontecer, conforme tudo desenrolava eu pensava: acho que já sei onde ele quer chegar e, quando temos tudo revelado, não foi uma grande surpresa para mim.


Ler Origem foi conhecer obras de artes que não imaginava, autores e poemas incríveis e ver uma possibilidade do que aconteceu no nosso passado e do que acontecerá em nosso futuro. A leitura desse livro abalou meus ideais religiosos e científicos, mas não me deixou descrente de um ou outro. Ele me deixou uma lição que todos deveriam anotar para sempre em suas vidas: O diálogo é sempre a melhor opção.  
“- Desde o início da história religiosa, nossa espécie foi apanhada num fogo cruzado interminável: ateus, cristãos, muçulmanos, judeus, hindus, os crentes de todas as religiões. E a única coisa que une todos nós é nosso profundo desejo de paz.”

Indico esse livro para todos os fãs do autor e não fãs também, acho que é uma obra que merece ser lida.


Classificação:

20 comentários:

  1. Oi Bru,
    achei o livro bom, mas não é o melhor de Dan Brown.
    Bj

    Amor por Livros

    ResponderExcluir
  2. Eu acabei lendo este livro nesta última semana, só para encerrar o ciclo de Langdon dentro de mim.
    Sei lá, gosto demais das letras do Dan, mas penso comigo que esta saga já tinha terminado fazia tempo.
    Este último livro ficou mais do mesmo, parece que pegaram partes dos livros anteriores e simplesmente fizeram um enredo igual.
    Não digo que foi ruim,só achei desnecessário.rs
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Oi Bruna, tudo bem? Eu não li este do Dan Brown ainda, mas acho que os livros do autor sempre nos enriquecem culturalmente e valem a pena ser conferidos. Adorei as fotos da resenha!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  4. E tem como a gente não ser fã do Dan? Não, acho que não. Eu sou muito fã e, bem, até agora, a minha fé não foi abalada por conta de seus livros, porém, pode ser que esse consiga, não é? Não é isso que eu quero, mas estou imensamente curiosa e ansiosa para ler esse livro, assim como estive com todos os outros. Sua resenha me deixou ainda mais empolgada e ansiosa, espero conseguir em breve!

    Beijinhos,
    Fer

    ResponderExcluir
  5. Eu to é louca para ler esse livro menina que voce nem imagina, adorei saber a sua opinião e parece ser uma ótima pedida, ainda mais que é a escrita do Dan né, o queridinho de muitos leitores.
    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Acredita que os livros do Brown não me chama atenção. Tenho dois na minha estante que nunca abri. Gosto do fato dele trazer uma nova perspectiva sobre alguns pontos de vista que temos como certo e nesse livro em especial deve nos agregar informações sobre arte, mesmo assim não é minha praia. Ou eu preciso dar uma chance e ver que estou perdendo grandes histórias.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Eu não li nada do autor ainda, mas acho a sua formula clichê, que todo mundo critica algo muito bom, ao menos os leitores vão seguros de como a história vai ser, não vejo como algo ruim, sabe? Acho essa capa maravilhosa e certamente está na minha lista de desejados.

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem? Sempre tive curiosidade de ler os livros do autor, porém tenho um certo medinho de ser muita informação pra minha cabeça pequena, hahaha. Adorei tua resenha, um dia ainda vou ler essa série!

    Beijos,
    https://duaslivreiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem?
    Já li um livro do autor, Anjos e Demônios, e eu me apaixonei pela história, apesar da leitura ter sido um pouco cansativa. Quero muito continuar a ler as aventuras de Robert Langdon.

    Beijinhos,
    http://livroseimaginacoes.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem?
    Estou super ansiosa para ler este livro, minha amiga leu e falou maravilhas dele, inclusive ela que vai me emprestar o livro para que eu possa ler! Adoro a escrita do Dan! Adorei sua resenha e amei as fotos! Bjo
    http://colecionandoromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oiiie
    Que resenha incrível, amei! Da série com Robert Langdon, só li O códio da Vinci mesmo e amei demais, é um livro espetacular. Quero ler os outros, claro, mas acho que vou ler tudo fora de ordem mesmo kkkkkkkk o Dan Brown tem esse poder de fazer a gente refletir a respeito de fatos científicos e religiosos, acho isso maravilhoso.
    Bjos, Bya! 💋

    ResponderExcluir
  12. oii tudo bem ??

    amei a resenha <3 esse livro ta no meu kindle pra ser lido mais ate agora não peguei pra ler ate o fim do mês espero pega pra ler :)
    nunca li nada do autor tenho uma grande curiosidade mais confesso que sempre tenho preguiça de começar a ler irei da uma chance esse ano.

    bjs

    ResponderExcluir
  13. Eu amo esse estilo do autor e acredito que isso nãos seria motivo para me desagradar. Eu sou fascinada pelos livros de Robert Landgon e estou louca por esse volume. Adorei conhecer mais sobre a trama através da tua resenha, fiquei ainda mais curiosa para realizar a leitura e vou torcer para encontrar uma promo bacana do livro.

    ResponderExcluir
  14. Oiii Bruna

    Do Dan Brown tentei com o Código da Vinci e não gostei, acabei desfrutando mais do filme que do livro (oque é raro pra mim), mesmo assim acho que premissa de Origem super interessante apesar de ter uma narrativa que segue o estilo do outro livro. Quem sabe eu acabe gostando mais desse né? Acho que vale a pena tentar futuramente.


    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Gostei muito da leitura desse livro, mas achei o Robert um pouco apagada, justamente por causa do Winston, porém me surpreendeu com um enredo futurista e bem amarrado com todas aquelas revelações. Afinal é de Dan Brown que falamos né, e o cara escreve enigmas como ninguém.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Achei a leitura muito detalhista e as vezes nos inícios dos capítulos tinha, dois três parágrafos só para detalhar uma cena. Não há como negar que Dan Brown é um mestre quando se trata de suas histórias pois sempre nos surpreendemos. Gosto dessa "luta" entre ciência e religião que ele sempre propõe e adorei o Winston.

    beijinhos!

    ResponderExcluir
  17. Olá Bruna, tenho bastante curiosidade para ler os livros desse autor e apesar de você comentar que essa não é a melhor obra dele parece que ela esta incrível <3 Adorei a resenha.

    ResponderExcluir
  18. Olá, bom saber que esse livro é bacana, ainda que não seja o melhor do autor. Eu sou das que pesquisa todas as referências de lugares, obras, etc. que aparecem no livro, então acho que ia gostar disso.

    ResponderExcluir
  19. Oi Bruna! Apesar de ter gostado muito do livro Código da Vinci e também do filme homônimo e do filme Anjos e Demônios, não li mais nada de Brown desde então, apesar de toda a fama e mídia. Como estou fugindo de sagas, por enquanto não entra pra minha lista, mas tenho certeza que é mais um ótimo livro, apesar de você não ter considerado o melhor. Acredito que deve ser igual Agatha Christie, depois de ler muito de seus livros, acabamos nos acostumando tanto com o estilo de escrita que acabamos já prevendo os acontecimentos. Fantástico. Beijos

    Nara Dias
    Viagens de Papel

    ResponderExcluir
  20. Oie, tudo bom?
    Ah, eu li "Código da Vinci" e achei bem cansativo. Tipo, é um enredo bom, mas a leitura se tornou massante pelo excesso de informações sobre história, e o enredo enrolou minha cabeça todinha. Hahahaha

    ResponderExcluir