domingo, 13 de agosto de 2017

[Resenha] O Ceifador, Neal Shusterman - Scythe #1

Título: O Ceifador
Autor: Neal Shusterman
Série: Scythe #1
Editora: Seguinte (cortesia)
Páginas: 448
Onde comprar: Amazon 

“Primeiro mandamento: Matarás.”

O Ceifador, escrito por Neal Susterman e primeiro livro da série Scythe, nos apresenta a um mundo perfeito onde a humanidade superou todas suas dificuldades; fome, guerra, doença, miséria e até a morte. Entretanto, um mundo onde há apenas nascimento seria incabível e por conta disso criou-se A Ceifa, uma organização totalmente independente do governo que treina Ceifadores para coletar pessoas.

Citra e Rowan são os personagens extremamente diferentes. Enquanto ela vem de uma família que se preocupa, que vive bem, Rowan é a alface de um lanche, aquele para o qual ninguém dá bola e que vive fazendo loucuras, como se matar para ser revivido. A vida deles seria mantida do mesmo jeito, mas elas são cruzadas com o Honorável Ceifador Faraday e tudo muda. 
“Uma coisa era passar despercebido, outra completamente oposta era ser o alvo do ódio de toda a escola.”

Faraday bate à porta de Citra um belo dia e isso assusta toda a família, pois quer dizer apenas uma coisa: coleta. Um alerta se acende na mente da garota, mas ela, ao invés de temer e tratar com respeito Faraday, responde tudo o que o ceifador diz, o que causa certa apreensão em todos. O bom foi que ele não estava ali para coletar ninguém da casa dela, mas, sim, a vizinha. O ruim foi que Citra chamou a atenção dele.

A vida de Rowan se choca com a de Faraday na escola. Ele vê o Ceifador chegando e se assusta, mas mantém-se firme e até o ajuda a chegar onde gostaria. O que ele não esperava era que o Ceifador estaria lá para coletar um dos alunos e que isso faria com que ele fosse visto e julgado. Assim como Citra, Rowan não reage como todos esperam e confronta Faraday fazendo com que ele também se atente a esse jovem rapaz.


Após um tempo os dois são convidados para serem treinados para serem Ceifadores, mesmo eles nunca tendo ambicionado isso. O que motiva cada um é diferente do que poderíamos imaginar. Como será, então, que a história irá se desenrolar? 
“- Por que vamos competir por algo que nenhum de nós quer? – Citra perguntou.
- Aí está o paradoxo da profissão – Faraday disse . – A função não deve ser concedida aos que a desejam. São aqueles que mais se recusam a matar que devem exercê-la.”

Quando esse livro foi lançado todas as resenhas que li dele foram positivas e minhas expectativas ficaram lá em cima. Foi uma surpresa receber um pacote da Companhia das Letras e esse livro estar entre os três enviados. Fiquei extremamente alegre, mas aí bateu o receio. E se eu me decepcionasse? Todos os livros que eu estava lendo com as expectativas altas estavam me dando um banho de água fria. Mas, felizmente, não foi isso que aconteceu, contrariando todas as expectativas: O Ceifador me surpreendeu ainda mais.

O primeiro ponto alto desse livro são os personagens; fortes, inteligentes, determinados e amigos, eles se importam um com o outro. O segundo é o universo e sociedade criados pelo autor. Sério, gente, quem nunca pensou o quão incrível seria uma sociedade onde tudo fosse perfeito, onde não houvesse morte prematura, onde pudéssemos viver bem? Eu já pensei muito nisso, mas aí vem o ponto chave do livro; a vida não pode ser eterna. E isso foi muito bem trabalhado.

O terceiro ponto alto da história, para mim, ficou a cargo de como cada Ceifador se motiva para coletar. Faraday, por exemplo, coleta com base em estatísticas, o que nos faz pensar sobre como morremos. Já outra Ceifadora – minha preferida – coleta de acordo com o olhar dos humanos. Se ela os visse cansados ou assustados, os coletava, mesmo porque, muitas vezes, ela se sentia assim.

Por fim, o quarto ponto alto da história são as reviravoltas que acontecem. O autor trabalhou todas elas com muita maestria. Ele soube conduzir os personagens e o leitor pelo caminho que queria e, nossa senhora, ficou tudo incrível, pois faz a leitura ficar extremamente ágil, viciante e frenética.

Se eu precisasse levantar um ponto negativo seria o tanto que sofri com a morte de um personagem. Ela dilacerou meu coração e me fez chorar como uma bebê. Apesar disso eu não posso ressaltar como ponto negativo, pois, mais uma vez, foi uma questão muito bem trabalhada pelo Neal.


Enfim, é um livro completo em todos os sentidos e é impossível não recomendar essa leitura. Acho que está para ser escrito um livro mais incrível que esse, de verdade. 
“(...) sofrer a dor nos liberta para sentir o prazer de sermos humanos.”


Classificação:

17 comentários:

  1. Que resenha incrível Bruna! É contagiante poder ler sua empolgação com o livro, terei de o ler, deve ser uma leitura excepcional. Abração!

    ResponderExcluir
  2. Oi tudo bem?
    Confesso que já havia lido algumas resenhas desse livro mas nenhuma tinha me deixado curiosa quanto a essa leitura, sua empolgação estava nítida na sua resenha e me deixou curiosa gosto de livros que vão além das expectativas e também que tem personagens fortes, espero que essa leitura me agrade também.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Ola
    Primeiramente, te entendo bem em relação a morte de um personagem. Eu gostei muito desse livro, e achei ótimo todos os elementos trabalhados, até sobre as partes dos diários, a determinação dos personagens, enfim.. suas impressões refletem bem as minhas próprias!
    Beijos,F

    ResponderExcluir
  4. Olá Bruna
    Esse livro tá na minha "listinha" desde que li a sinopse dele a primeira vez! O autor foi muito inteligente ao abordar um tema que chama a atenção de todo mundo! Resenha incrível, e belas fotos, parabéns!!! Beijos...

    www.blogleituravirtual.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi, Bru!
    Adorei sua resenha!!!
    Já tinha muita vontade de ler esse livro, mas, agora, ao ler sua resenha, essa vontade triplicou!!! Adorei seus comentários sobre a obra, essa morte aí tenho certeza que irá mexer comigo também e essa premissa é tão interessante que não tem erro, tenho certeza que irei amar a leitura.
    Bjo

    ResponderExcluir
  6. Olá!!
    Sou louca para ler esse livro, falta só a oportunidade (rsrs).
    Cada comentário que leio é favorável e isso me deixa ainda mais ansiosa por querer lê-lo!
    Gostei muito da sua resenha, parabéns! Se eu tinha alguma dúvida sobre ele. (não mesmo,) agora evaporou qualquer fiapo de hesitação!
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi Bruna, todo mundo falando deste livro e eu ainda fora da roda do assunto. Achei a premissa bem original e não me lembro de nada parecido com este plote, mas ainda não estou totalmente interessada na leitura. Vou esperar a hype passar um pouco.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi Bruna!

    Adorei super sua resenha e adoro o fato de você também ter gostado do livro, pois eu o amei de todas as formas. Achei a trama, os personagens, essa nova organização social tudo muito original e bem construído. Amei o ceifador Faraday e os protagonistas são ótimos mesmo. Mal posso esperar pela continuação.

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

    ResponderExcluir
  9. Estive há pouco de comprar esse livro, hauhuaha! Mas resolvi esperar, embora o tema em muito me interesse!

    Sei que há uma crítica social muito boa na história, mas você foi a primeira que li que fala particularmente de como os ceifadores escolhem quem irão levar. Gostei e só me senti mais atraída e estou começando a me arrepender de não tê-lo pego ainda!

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  10. Oie! Tudo bem?

    Estou atazanado a vida do meu pai por esse livro kkk Desde que coloquei o olho nele e nem sabia ainda sobre o que se tratava eu o queria, amo histórias com Ceifadores e agora com tanta resenha positiva não vejo a hora de realizar a leitura dele!

    Bjss

    ResponderExcluir
  11. Oi!
    Não li muito de sua resenha porque comprei o livro e estou esperando chegar, e assim que ele aterrisar por aqui vai passar na frente com certeza.
    Pelo jeito o autor soube construir uma ótima história e está encantando todos que o leem.
    Espero gostar tanto assim também

    ResponderExcluir
  12. Oi Bruna,

    Que resenha ótima. Tenho visto bastante comentários sobre o livro, então fiquei bem curiosa mesmo com ele. Como confio na sua opinião, quero adquiri-lo em breve para ler. :)

    bjs

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem?
    Tenho visto muitas resenhas da obra, mas sempre muito vagas e diretas, tão bom ler uma resenha detalhada na medida certa que nos faz querer o livro na mesma hora!
    Amei a sua, e espero ler a obra em breve.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  14. Oi Bruna,
    eu tenho meus receios com relação a esse livro e mesmo lendo inúmeras opiniões positivas a respeito nunca havia pensado em lê-lo, mesmo que em um futuro distante. Mas depois de ler várias resenhas suas percebi que temos um gosto bem parecido e saber que você gostou tanto desse livro me balançou legal, serio mesmo, pela primeira vez desde que esse livro foi lançado começo a acreditar que eu poderia vir a curtir essa leitura.

    Abraços!
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir
  15. Olá Bru, tudo bom?
    A cada nova resenha que leio fico mais ansiosa para realizar essa leitura! Acho super interessante essa abordagem do autor, onde existe uma sociedade perfeita, mas, com essa questão de que a vida não pode ser eterna. Outro ponto que curti muito foi saber que os personagens fortes, inteligentes, amigos, determinados e que se importam um com o outro! Saber que nem o ponto negativo foi negativo de verdade só me deixou ainda mais curiosa! Amei a resenha e espero poder ler esse livro em breve!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Oi, Bru

    Eu simplesmente AMEI esse livro! <3 Favoritei com muito gosto e já terminei sedenta pela continuação! Eu adorei a Curie, mas morri de amores pelo Faraday. Achei a personalidade dele muito interessante e se eu tivesse que escolher um ceifador para ser meu mentor eu escolheria ele! hahahhaah
    Sobre aquela morte, eu não cheguei a chorar, mas soltei um "nãoooo"! hahahahahah
    E eu me surpreendi muito por ter gostado, já que Fragmentados, um outro livro do autor publicado pela Novo Conceito, foi uma das minhas piores leitura! aahahahah
    Espero que a Seguinte faça um lançamento simultâneo do segundo livro ou então bem juntinho, pq se demorar muito vou ler em inglês mesmo! hahahahha

    Beijocas! <3

    ResponderExcluir
  17. Muito interessante o enredo da obra. Sempre fico encantada por distopias, embora esteja tentando dar um tempo. Estava imaginando o quão horrível deve ser para os personagens precisar escolher pessoas para matar. Do jeito que eu sou chorona, com certeza vou derramar rios de lágrimas ao ler essa obra. Mas vou arriscar e adcionar esse livro na minha de leitura.

    ResponderExcluir