segunda-feira, 19 de junho de 2017

[Resenha] A menina submersa: memórias, Caitlín R. Kiernan

Título: A menina submersa: memórias
Autora: Caitlín R. Kiernan
Editora: DarkSide Books
Páginas: 320
Onde comprar: Amazon | Saraiva

A declaração de Neil Gaiman sobre a Caitlin é clara: não é qualquer autor que escreve como ela. Ela escreve como poucos. Passei semanas digerindo essa leitura e confesso que não foi fácil tentar colocar as coisas no eixo. Talvez isso aconteça porque o livro é um relato louco sobre uma protagonista que escreve o seu livro sobre um enredo fantástico e meio a criaturas misticas.

Com uma narração intrigante, não linear e uma prosa magnífica, Caitlín vai moldando a sua obsessiva personagem. Imp é uma narradora não confiável e que testa o leitor durante toda a viagem, interrompe a si mesma, insere contos que escreveu, pedaços de poesia, descrições de quadros e referências a artistas reais e imaginários durante a narrativa. Ao fazer isso, a autora consegue criar algo inteiramente novo dentro do mundo do horror, da fantasia e do Thriller psicológico.


“Fantasmas são essas lembranças fortes demais para serem esquecidas, ecoando ao longo dos anos e se recusando a serem apagadas pelo tempo.”
Essa edição de luxo e limitada foi lançada pela DarkSide Books! A menina submersa: memórias nos traga para zona do incomodo e nos faz enxergar o quanto estamos acomodados com leituras lineares. A autora trabalha com propriedade o fluxo mental de India Morgan Phelps, mais conhecida como Imp- ao decorrer da trama. Ela carrega um grande fardo de família, e se apega nos livros, nos vinis, na lembrança da sua mãe e avó uma maneira de escapar e até mesmo lutar contra os caminhos da loucura. O seu histórico genético é bem sério, tanto, que isto custou a vida da sua mãe e avó que cometeram suicídio, para escapar das garras da loucura. Em um caminho tortuoso a jovem busca respostas, por vezes, sem sentido. Ela quer compreender o que aconteceu com Eva Canning, com a sua namorada e consigo mesma. Mas não será fácil, porque seus desvios paranoicos a fazem esquecer quem ela é!
Nenhuma história tem começo e nenhuma história tem fim. Começos e fins podem ser entendidos como algo que serve a um propósito, a uma intenção momentânea e provisória, mas são, em sua natureza fundamental, arbitrários e existem apenas como uma ideia conveniente na mente humana. As vidas são confusas e, quando começamos a relacioná-las, ou relacionar partes delas, não podemos mais discernir os momentos precisos e objetivos de quando certo evento começou. Todos os começos são arbitrários.
O livro, inicialmente, é tão confuso que poderia ser difícil de resenhar ou mesmo opinar. Foi preciso várias tentativas para pegar o ritmo da Imp, o que foi quase impossível. Esta narrativa não-linear nos faz mergulhar de cabeça no mundo confuso da jovem o tempo inteiro! O que me incomodou no inicio, porque estou acomodada a realizar leituras que seguem um padrão tanto cronológico quanto linear. Mas houve um momento em que me vi fascinada pela mente da India, porque em partes, consegui compreender a mente de uma pessoa que sofre de esquizofrenia- informação que pode estar subentendida no livro (isso não é spoiler).


Acredito que isso acontece com quase todos os que leem essa obra: reler o parágrafo para tentar entender algum detalhe que passou desapercebido. E não se fruste, porque nem sempre será possível. Isso é um ponto genial na obra porque nos mostra como a mente humana é perigosa e indecifrável. E nem se quiséssemos entrar na mente de Imp por inteiro nós conseguiríamos!
“Gente morta, ideias mortas e supostamente momentos mortos nunca estão mortos de verdade e eles moldam cada momento de nossas vidas.”
Outro ponto marcante no enredo é que a falta de linearidade nos faz entender também o passado da avó e da mãe de Imp. Como assim, Amanda? Porque de certo modo o histórico genético delas são o mesmo. Por esse viés, conseguimos entender até que ponto essas mulheres foram torturadas pela loucura e encontraram apenas a morte como escapada para acabar com esse sério problema! Do outro lado, nos chocamos também com o fato de sua namorada, Gamer, ter sidoexpulsa de casa porque é trans. É terrível não ser aceito por sua própria família, ainda por cima por causa da opção sexual.

Mesmo que a narrativa se aproxima da realidade ela ganha um tom de fantasia, pois a aparição da estranha Eva Canning faz a Imp mergulhar profundamente em suas próprias memórias. Ela é uma mulher misteriosa,  e vai sendo descortinada ao poucos.
“… assombrações são memes, em particular, transmissões de idéias perniciosas, doenças contagiosas sociais que não precisam de hospedeiro viral nem bacteriano e são transmitidas de milhares modos diferentes. Um livro…”
Esta obra também ganha um tom artístico quando Imp cria uma fixação absoluta por obras de arte, em especifico uma, chamada de: A menina submersa de Phillip e Fecunda Ratis,de Albert Perrault. Você pensa que esses artistas são reais? Não são. Mas a clareza de detalhes é tão grande que sentimos a existência deles. É incrível como a Caitlin nos faz acreditar em cada palavra e em cada situação que a Imp passa.


A Imp te deixa um aviso por diversas vezes: tudo o que ela ali escreve não nos dá certeza de que as ações aconteceram. A sua memória errática pode nos causar confusão, ou seja, cabe a você juntar as pistas deixadas e separar o real do imaginário. O que não será fácil! Este é um convite que poucos são capazes de aceitar. Afinal, você já tentou entender a insanidade do ser humano e dos seus limites?

Assuntos como esquizofrenia, paranoia e loucura são muito bem abordados na trama. Só é possível descortinar a jovem quando ela deixa de tomar os remédios, e dessa forma descobrimos um pouco mais sobre a Eva. A sua namorada também é um ponto chave, pois em diversos momentos ela ajuda Imp a retornar para o mundo real! E, você está disposto a encarar?


Mais uma vez a DarkSide me surpreendeu como se não houvesse limites na beleza da diagramação e riqueza semiótica. Essa edição está cheias de detalhes, seja por dentro ou por fora. Se você é apaixonado por um enredo psicológico, insano e ao mesmo tempo humano essa leitura é ideal. Não se assuste, pois haverá momentos em que você se achará louco por não entender a mente de um esquizofrênico. O melhor de tudo? Está obra não foi romantizada ou banalizada. Longe disso, ela foca com detalhes nos problemas de uma adolescente que tenta se manter nos eixos e encontrar uma válvula de escape para não flutuar tanto. 

Classificação:

18 comentários:

  1. Oi. A arte gráfica desse livro me deixa sem palavras. As imagens são tão bem feitas que eu simplesmente não consigo expressar em palavras o que sinto ao visualizá-la. Sua resenha está muito bem elaborada. Parabéns. Tenho muita vontade em lê-lo, quem sabe ainda terei a oportunidade de fazê-lo. Abraço!

    www.marcasliterarias.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Amanda. Realmente não tem como não se sentir confusa ao ler esse livro. Eu gostei muito, depois que peguei o ritmo. Foi bem interessante mergulhar na mente de uma esquizofrênica.
    bjs

    Amor Por Livros
    http://amo-os-livros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Ola
    Sou apaixonada por essa edição e claro que gostaria de ter um exemplar em minhas estantes. Todas as críticas me deixam bem animada, assim como as suas impressões. Acho que a narrativa deve enganar o leitor, por isso compreendo a parte de se sentir confusa, porque o mundo dela é confuso né.. mas é interessante que o desenvolvimento consiga repassar isso. Espero ler em breve!
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  4. Oi,
    as edições dessa editora são incríveis mesmo, eu infelizmente tenho apenas um livro deles, estou evitando comprar livros que não vou conseguir ler logo, só se for uma história que quero muito ter, quanto a trama, não fazia ideia que abordava doenças mentais em seu enredo, confesso que fiquei ainda mais tentada a comprá-lo gosto de livros que abordam a patologia da mente, quando penso que a poucos dias ele estava em promoção na amazon e eu deixei passar me vem um arrependimento sem tamanho. Agora vou esperar uma nova promo e ver se me controlo ou saio da linha mais uma vez hahaha

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oi Amanda, gosto quando a gente não consegue confiar na personagem e tem que ir juntando as pistas ao longo da narrativa e isso me agradaria muito nesta leitura. Acho que a questão da esquizofrenia seria uma novidade para mim na literatura e isso me deixou curiosa.
    Amei a dica
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bom?

    Como sempre Darkiside arrasando na capa, não é mesmo? Quero muito ler esse livro, nunca li nenhum livro que a personagem tem esquizofrenia mas sua resenha chamou bastante minha atenção, ainda mais por falar que a narrativa é bem diferente. Gostei muito de saber que a obra não possui romance porque sempre os autores colocam um romance na história como se ele fosse a salvação da personagem.

    Beijos:*

    ResponderExcluir
  7. Sou louca nessas capas duras da Darkside, são simplesmente maravilhosas.
    Pena que não seja o gênero que goste de ler, mas adorei sua resenha. Parabéns.
    Apesar de ter ficado curiosa ao decorrer da leitura da sua resenha, talvez se conseguir esse livro de promoção em algum site eu vá comprar. Vamos ver!
    Blog As Meninas Que Leem Livros - Lauri Brandão

    ResponderExcluir
  8. Amo leituras densas [a loka rsrs]. Há tempos estou enamorada por essa obra. Ainda não a tenho devido seu preço nas livrarias. Já a folheei e sua diagramação é apaixonante. Assim que conseguir, em uma promoção, vou adquiri-lo. Adorei suas fotos. Bexitus!

    ResponderExcluir
  9. Olá, Mandy ♥
    Como você me conhece bem sabe que esse não é o meu tipo de leitura nem de longe, porém fiquei meio curiosa com o enredo desse livro, como sempre falo as vezes é bom sair um pouco da zona de conforto. O que me chama atenção nessa obra e seu acabamento algo que a editora nunca deixa a desejar. Sua resenha está maravilhosa, como sempre! quem sabe um dia eu leio...
    Beijocas!

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem?
    Eu confesso que não costumo ler livros da Dark, pois o gênero não é o meu favorito, mas é impossível não amar as edições, né? E eu sou louca nesse livro, porque essa é uma das edições mais lindas de todas. Sobre a história, eu confesso que não sou fã de narrativas não lineares, justamente porque se torna uma leitura confusa, mas fiquei bem curiosa para adentrar nesse mundo da protagonista, imagino que seja bem interessante acompanhar tudo mesmo. Enfim, é uma obra que parece ser muito bacana mesmo, gostei bastante dos temas abordados, eles são interessantes e eu não li muita coisa sobre ainda.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  11. OOi!
    Até tenho interesse em realizar a leitura, pois parece ser uma história bem marcante. Ainda assim, não o leria no momento por estar em uma vibe de leituras mais leves. Mas ainda quero ler esse livro um dia!
    Sobre a edição, a editora arrasou demaaaais - o que não é nem surpresa. hahah

    ResponderExcluir
  12. Olá!!
    Sei que esse livro é aquele tipo de leitura que ou você ama ou vc odeia,já vi alguns comentários negativos com relação a ele,justamente por ser confuso na maioria das partes,mesmo isso sendo um fator negativo pra mim ainda pretendo ler,mas sei que não pra agora.

    http://livroaoavesso.blogspot.com.br/2017/06/resenha-obsidiana-saga-lux-1-jlynn.html#comment-form

    ResponderExcluir
  13. Oii Amanda!!! Resenha maravilhosa! Me fez sentir bem o clima do livro e só posso dizer que estou ainda mais empolgada e interessada em realizar a leitura! Amo thrillers psicológicos e narradores não confiáveis. Acho que será um prato cheio para mim :D

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    Eu demorei bastante pra ler esse livro, tanto que abandonei e voltei depois e na segunda foi de vez, fui até o final mesmo em vários momentos a leitura ter sido um pouco confusa.
    Mas é incrível como a autora consegue nos colocar em uma mente de uma esquisofrenica e colocar todos os mistérios com o passado dela e a trama da Eva e dos quadros misteriosos.
    É uma ótima leitura para quem consegue persistir

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    De tanto ver o pessoal falando bem dessa obra, resolvi iniciar a leitura. Não consegui passar do capítulo 10, acredito que por causa dessa narrativa não linear, se tornou um livro bem chato e completamente confuso. No momento, abandonei, mas vejo que várias pessoas resolveram dar uma segunda chance e amaram, então talvez eu também adore.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Gente... essa edição é simplesmente maravilhosa!
    Achei a capa fascinante!
    Apesar da densidade da história, a trama não despertou meu interesse.
    Talvez você me ache louca, mas não curto muito os livros da darkside.
    Mas a sua resenha está impecável.
    E eu não poderia deixar de ressaltar isso.
    Beijinhos! Sucesso!

    Eliziane Dias

    ResponderExcluir
  17. Oiiii

    Ai, ja tentei tantas vezes ler esse livro que dá até vergonha falar que não consigo chegar ao final. A estória é densa e tem um peso que não é pra qualquer um não. Essa inconstância da narrativa que me pegou, não sabia mais o que era realidade, o que não era, e também a estória parava do nada pra contar algum assunto moh aleatória. Fico feliz que tenha gostado, de verdade, mas pra mim não funcionou não kkkk

    Bjos

    ResponderExcluir
  18. Oi Amanda, tudo bem?
    Eu sempre tive muita curiosidade em ler esse livro mas nunca tive oportunidade, fico feliz em ver que ele realmente cumpre o que promete e essa edição meudeus? é maravilhosa! a darkside sempre nos deixa fascinados pelas edições.

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir